sábado, 30 de outubro de 2010

Diamantina Gourmet: tradição, cultura, história, temperos e aromas

Você não precisa ir muito longe para encontrar o melhor da gastronomia.

Nós, por exemplo, fomos só até o quintal.

As ruas da cidade vão ganhar uma atração especial: o aroma e o sabor do Diamantina Gourmet. Um festival com o melhor da culinária com uma pitada de ingredientes colhidos diretamente do quintal. E além da gastronomia, você ainda pode aproveitar atrações artísticas e culturais e toda a riqueza de uma das cidades históricas mais belas do país.

Participe do Diamantina Gourmet. A tradição, cultura, história, temperos e aromas esperam por você!

image003 (1)

image004 (1)

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Ciclo de novembro do Cine Mercúrio aborda temática das Utopias

image

O projeto de Extensão Cine Mercúrio exibe em novembro o ciclo “Utopias”, composto de documentários e filmes de ficção que tematizam lutas políticas e sociais, movimentos de mulheres, reforma agrária, arte, juventude, modernidade, entre outras questões.

As sessões, gratuitas e abertas ao público, acontecem às quartas-feiras no horário das 19h30 no auditório do Instituto Casa da Glória da UFMG e aos domingos na Casa de Chica da Silva, às 18h30.

O projeto de Extensão Cine Mercúrio busca fomentar a atividade audiovisual e a formação de público em cinema e acontece graças à parceria entre diferentes setores da UFVJM (Instituto de Humanidades, Diretoria de Relações Internacionais, Centro de Apoio a Idiomas, FCBS, PROEXC), Cinemateca da Embaixada da França, Instituto Casa da Glória da UFMG e IPHAN, por meio do Programa Cine Mais Cultura, do Ministério da Cultura.

PROGRAMAÇÃO:

Maria Lacerda de Moura: Trajetória de uma Rebelde

(Brasil, 2003; 33 min.) Laboratório de Imagem e Som em Antropologia (Lisa/USP)

Sinopse: Mineira de Manhuaçu, Maria Lacerda de Moura (1887-1945) foi uma das pioneiras do feminismo no Brasil. Nos anos 1920 e 30 combateu em favor do sufrágio das mulheres, foi colaboradora da imprensa operária e viveu em uma comunidade agrícola autogestionária em Guararema (SP).

Quarta, 03/11, às 19h30

Local: Instituto Casa da Glória da UFMG

Libertárias

(Espanha-Itália-Bélgica, 1996; 125 min.) / Direção: Vicente Aranda

Sinopse: Em julho de 1936 o exército espanhol se rebela contra o governo da República. Inicia-se a Guerra Civil. Seis mulheres de origens e classes sociais diferentes se organizam em um grupo de anarquistas para lutar, de igual para igual com os homens, contra as tropas nacionais. / Indicação etária: 18 anos

Domingo, 07/11, às 18h30

Local: Casa de Chica da Silva

A Letra e o Muro

(Brasil, 2002; 33 min.) / Direção: Lucas Fretin (Lisa/USP)

Sinopse: Por trás dos traços espalhados nas pichações em São Paulo há uma imensa rede de sociabilidade entre jovens da zona sul e norte, da leste à oeste. O documentário busca revelar os mecanismos de comunicação e expressão gravados nas paredes da metrópole e discute os aspectos de sujeira e vandalismo associados à pichação.

Quarta, 10/11, às 19h30

Local: Instituto Casa da Glória da UFMG

Alma Corsária

(Brasil, 1993; 112 min.) / Direção: Carlos Reichenbach

Sinopse: O filme questiona se ainda há espaço para a arte num mundo dominado pelo consumismo e pela competitividade. Os poetas Rivaldo Torres e Teodoro Xavier lançam livro escrito a quatro mãos em uma pastelaria do centro de São Paulo, na região conhecida como Boca do Lixo.

Domingo, 14/11, às 18h30

Local: Casa de Chica da Silva

MST: o Movimento Sem Terra e a Maior Marcha do Brasil

(Brasil, 2008; 69 min.) / Direção: Gibby Zobel

Sinopse: O documentário acompanha quatro participantes da marcha de Goiânia a Brasília realizada em 2008 pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. A marcha durou dezessete dias, reuniu doze mil pessoas e formou uma coluna de quatro quilômetros na luta pela reforma agrária.

Quarta, 17/11, às 19h30

Instituto Casa da Glória da UFMG

Sonhos

(Japão-EUA, 1990; 119 min.) / Direção: Akira Kurosawa

Sinopse: Dividido em oito capítulos – oito sonhos diferentes que dialogam entre si – o filme desfila imagens que remetem às tradições milenares do Japão, às pinturas de Van Gogh e ao pesadelo da radiação nuclear. A película é baseada em sonhos que o cineasta Akira Kurosawa teve em momentos diversos de sua vida.

Domingo, 21/11, às 18h30

Local: Casa de Chica da Silva

Arquitetura da Destruição

(Suécia, 1989; 119 min.) / Direção: Peter Cohen

Sinopse: Estudo do nacional-socialismo de Adolf Hitler sob o ponto de vista estético. De sua chegada ao poder à derrocada alemã na Segunda Guerra, passando pela tese da “solução final” para os judeus e o repúdio à arte moderna, o filme acompanha as ambições estéticas e ideológicas do Führer, que se considerava um “artista na política”. / Indicação etária: 14 anos

Quarta, 24/11, às 19h30

Sinopse: Instituto Casa da Glória da UFMG

A Greve

(URSS, 1925; 82 min.) / Direção: Sergei Eisenstein

Sinopse: Um dos realizadores que contribuíram para a consolidação do cinema como meio de expressão artística, Eisenstein recria, aos 26 anos, o confronto entre trabalhadores e a polícia na Rússia czarista em 1912. O filme revoluciona a linguagem cinematográfica, sobretudo do ponto de vista da montagem.

Domingo, 28/11, às 18h30

Local: Casa de Chica da Silva

Endereços:

Casa de Chica da Silva: Rua Direita nº 14, Centro

Instituto Casa da Glória da UFMG: Rua da Glória nº 298, Centro

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

A crise dos negócios do diamante e as respostas dos homens de fortuna no Alto Jequitinhonha, décadas de 1870-1890

Autor: Marcos Lobato Martins

Revista Estudos Econômicos. vol.38 no.3 São Paulo Jul/Set. 2008

Este trabalho aborda a crise da mineração em Diamantina no período1870-1890 e os impactos que ela gerou sobre os negócios dos grandes mineradores e negociantes de diamante. A ênfase recai sobre a trajetória regional da indústria de lapidação, que representou tentativa de agregar valor às gemas extraídas nas lavras do Alto Jequitinhonha. Também são analisados os investimentos que os homens de fortuna fizeram em firmas comerciais e industriais (principalmente fábricas de tecidos) e os projetos de desenvolvimento regional elaborados por empresários diamantinenses neste período. O trabalho utiliza fontes locais diversas como inventários, processos de falências, contratos, jornais, discursos e panfletos políticos.

Clique aqui para ler o artigo completo

* O artigo é uma dica do Prof. Leonardo Pinheiro.

Infelizmente, não é só fita....

Abaixo, reproduzimos o belo texto publicado ontem pelo Saul Moreira no site Micuim.Org. O Passadiço Virtual é gentilmente citado pelo Saul a partir de um desabafo que fizemos sobre o abandono em que se encontrava o mirante do Cruzeiro da Serra. Nosso texto (leia aqui) foi publicado em 21 de janeiro deste ano e continua atual. Na época prometi não voltar lá, mas não resisto e sempre levo meus amigos visitantes para uma visão muito bonita da cidade e seus arredores. Infelizmente, meu caro amigo Saul, "não é só fita". Além de uma paisagem deslumbrante, lá você encontrará cacos de vidro, lixo, "camisinhas", pichações, falta de iluminação e descaso com um patrimônio da cidade.

E assim, a cidade vai perdendo seus encantos. Quer outro exemplo? Ontem passei pela Rua da Caridade e presenciei o corte das árvores do seu canteiro central (foto). Me disseram que as raízes das árvores comprometem  as estruturas da casas. Mas fica a pergunta: será que plantarão  uma nova espécie mais adequada ao local? Onde está a tal onda verde? E a grande árvore que ficava próxima à rodoviária e que também foi cortada?

arvores caridade

Outro exemplo simples e singelo para essas perdas. Recentemente publicamos aqui que o Ministério Público estava reformando um casarão na Rua Macau do Meio para funcionar como sua sede (leia). O post recebeu um comentário muito sensível da Sâmia (Treliça) , parecido com as boas às lembranças relatadas pelo Saul: "Acredito na recuperação do imóvel, mas lamento tanto pelas parreiras centenárias... A antiga proprietária sempre nos permitia apanhar folhas para os charutos. Das minhas boas lembranças..

São essas lembranças  e histórias que vão se perdendo. Um cruzeiro não é somente uma cruz no alto de um morro; uma parreira não é somente uma planta. São dotados de sentidos e significados que transcendem a sua presença física e representam muito para a percepção que as pessoas têm do espaço em que vivem. Como dito pelo Saul, sou "neomorador do velho Tijuco", não tenho essas boas lembranças guardadas na memória, mas vejo com meus olhos uma cidade assistindo de forma passiva a deteriorização de seus espaço e sua cultura. Infelizmente, não é só fita....

Mas ainda há esperança. Recentemente, andando pelo centro da cidade vi as portas do andar inferior do Museu do Diamante abertas. Era manhã de uma terça-feira, dia normal de trabalho, mas tive a oportunidade de conhecer o trabalho do Sr. Luiz Cinza e sua arte primitiva. Segundo me disseram, trata-se de um profissional que pinta, além de faixas e letreiros,  belos quadros. Pude constatar que sua obra retrata com extrema beleza e simplicidade uma Diamantina viva, bela e colorida. Esse trabalho do Museu do Diamante, coordenado pela Lilian Oliveira, é um exemplo da importância e da necessidade dessa preservação e resgate da memória e das pessoas. Sem isso, a cidade se transforma em um amontoado de carros, motos, prédios, pessoas e coisas...

Quem dera fosse só fita...

Autor: Saul Moreira, no Micuim

Há uns tempos li no “Passadiço Virtual” artigo em que o Fernando Gripp ‒ ao que me parece, sério, crítico e dedicado apreciador e neomorador do velho Tijuco ‒ falava de sua má impressão sobre o descuido com o mirante do Cruzeiro. Lamentável notícia! Enquanto lia, vinham-me à memória os passeios que fazíamos lá, a pé; da construção do Jardim, um pouco abaixo do dito; de uma turma grande e alegre que para lá ia à noite fazer serenata para aquela Diamantina que dormia cedo e que sonhava muito.

Meus irmãos, de férias, meus cunhados, primos, primas, seus amigos. Alguns me carregavam, menino demais, às costas, de cavalim. O Raimundim era quase sempre o voluntário, com sua sempre moleque boa vontade e sua disposição bem humorada e invejável. Ou era o Hélio ou o Tulisca, os “cavalinhos” a me transportarem, às vezes meio sonolento, mas alegre,  atento,  confiante.

Era acordeom, violão, cantoria… A “Perpétua”, que não cheirava,  misturada a  “Chega de Saudade”;  o  folclórico  “Zum-zum”  junto com a então novíssima
“O Amor, o Sorriso e a Flor”. O Roger ao violão intercalando suas saudosas baladas norte-americanas com a sutileza da nova música popular que nascia do violão inimitável de João Gilberto.

E dá-lhe Agostinho dos Santos, Dolores Duran, e mais da flor que não cheira (e não fede, acrescentava um gaiato). E versos de improviso, e mais sonhos no meio do mar, e o “Samba do Arnesto”, novidade trazida pelo Dimas de um então ainda pouco conhecido Adoniran. E o espetacular aparelho levado um dia pelo Roberto Ribas: uma vitrola portátil, à manícula… Oitava maravilha, embora nem tão portátil assim, perto daquelas radiolas imensas de então.

Lá embaixão, escorriam pelas ladeiras e pela bruma os segredos e as poucas luzes da Cidade, numa paisagem que se queda imutável na minha memória. E a gente sem saber direito se era o panorama que nos espiava ou se nós é que, distraidamente, o admirávamos, tamanha a identidade de todos com o ambiente, com a beleza, com a poesia embriagante.

Hoje, claro que acredito no Gripp e creio que ele tenha narrado um fato. Mas como eu gostaria que fosse só fita… Como gostaria que Diamantina ainda viesse a receber tantas canções, entoadas lá do Cruzeiro, a embalar seu nem tão sereno sono de hoje em dia. Canções em forma de acalanto para essa gente que, mesmo dormindo mais tarde, há de ser eterna sonhadora…

(SM – Out/2010)

Tombamento da Serra dos Cristais

Fonte: Agência Minas (14/10/2010)

Conep empossa conselheiros para mandato 2010-2012

BELO HORIZONTE (14/10/10) - Na próxima segunda-feira (18), o secretário de Estado de Cultura, Washington Mello, empossa os membros titulares e suplentes do Conselho Estadual do Patrimônio Cultural (Conep) - para mandato 2010-2012. A 2ª reunião ordinária do Conep tem início às 9h, na Sala Guimarães Rosa, no Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), em Belo Horizonte.

Também estará na pauta da reunião o tombamento estadual de dois bens culturais. O primeiro deles, o Conjunto Paisagístico da Serra dos Cristais, em Diamantina, no Vale do Jequitinhonha, já tem proteção provisória peloInstituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha/MG) desde o ano 2000. Novos estudos foram feitos e o dossiê de tombamento foi aprofundado e reapresentado ao Conep no último encontro, quando foi nomeado um relator. Nesta segunda-feira (18), será apresentado seu parecer, seguido de votação de todos os conselheiros quanto à conclusão do processo para tombamento definitivo da Serra.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Em pouco mais de um ano, quase 5 milhões de reais aplicados em projetos inovadores em Diamantina

Fonte: Polo De Inovação Tecnológica De Diamantina e Inovales

O Polo de Inovação Tecnológica de Diamantina, ligado à secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais – SECTES atua de forma a tornar Diamantina, e toda a sua Microrregião, num centro de  gestão de conhecimento e inovações, com ênfase na promoção da cooperação sistêmica. Foi criado no início de 2009, com início de atividades em junho do mesmo ano, graças ao apoio da UFVJM, que abrigou o Bureau do Polo nas dependências do prédio da Reitoria no Campus I, tendo ainda fornecido a necessária infraestrutura. Mais recentemente, o Polo passou a contar com forte apoio da Associação Comercial e Industrial de Diamantina, a ACID, em particular quanto à atração de investidores para novos negócios na Região.

Embora recente, o Polo, já exibe apreciáveis resultados, graças à equipe montada, com jovens talentos locais, sob a Coordenação dos Professores Luiz Eustáquio Lopes Pinheiro e Lucas Augusto Soeiro Pinheiro. Os demais técnicos do Polo, todos considerados jovens talentos locais são: Eduardo Pelli - Informática, Graciana de Souza Leite - Gestão financeira e Comunicação; Mateus Meira - Agronomia e João Victor Ribeiro - bolsista júnior.

Na sequência, estão relacionados os principais projetos especiais inspirados e criados pelas ações pró ativas do Polo.

PROJETOS APROVADOS E EM EXECUÇÃO

1. Projeto de Criação e Implementação do Bureau de Inteligência Polo de Inovação Tecnologia de Diamantina

Refere-se à instalação e seleção de técnicos, com as respectivas ações de gestão do conhecimento. Conta com recursos da SECTES/FAPEMIG, da ordem R$ 843.934,32. Este Projeto proporcionou as condições de funcionamento do Polo, a partir das quais foram gerados ou criados outros projetos, denominados especiais, como visto na sequência. Vale destacar que uma das principais ações gerenciais recentes, se refere à criação da Agência Regional de Gestão do Conhecimento e Inovação – INOVALES, destinada a ser uma OSCIP, principal gestora das ações do Polo. Esta Agência tem a ACID e inúmeras outras organizações como instituidoras, estando devidamente inserida nos demais Projetos sob a gestão do Polo.

Por meio da INOVALES o Polo exibiu seu primeiro produto ligado à gestão do conhecimento, capaz de proporcionar ao mesmo a sua auto sustentabilidade, por meio da flexibilização do seu leque de abrangência em prol de novas ações cooperativas e projetos estratégicos. Assim, com a interveniência da INOVALES, o Polo amplia a sua capacidade de gerenciar conhecimentos e de promover ações de inovação, de caráter privado, ampliando a certeza quanto ao cumprimento dos demais objetivos enunciados, bem como das metas do Polo e dos demais projetos especiais.

2. Projetos da UFVJM

De maneira natural, o Polo procurou contribuir para a criação de Projeto no âmbito da UFVJM, tendo em vista o seu corpo docente, altamente preparado. Procurou, assim, atender a uma das principais premissas da sua criação, ou seja, o fortalecimento da pós-graduação nesta Universidade. Para tanto, inspirou e incentivou a criação de três Projetos, todos capazes de atender à citada premissa, assim como de fazer surgir em Diamantina, laboratórios que possam ser referência na atração de novos negócios. Surgiram, dessa forma, as seguintes unidades de apoio à ciência e à tecnologia, todas com apoio e recursos SECTES/FAPEMIG :

a) Centro Avançado de Biomateriais na Odontologia – BIOMAT, apoiado com recursos da ordem de R$ 895.637,84.

b) Laboratório de Microvinificação e Qualidade de Bebidas Fermentadas - (LabVin), o qual recebeu aporte financeiro de R$ 515.072,89;

c) Laboratório Multiusuário de Microscopia Avançada R$ 933.076,94.

3. Novos Projetos sob a Gestão do Polo/INOVALES

De maneira complementar, o Polo criou dois novos Projetos, objetivando promover a expansão da viticultura na Região e a gerar novos negócios na área ambienta e agronegócios. Têm a parceria da UFVJM, da EPAMIG e do Instituto Biotrópicos, contando ainda com o suporte dos demais projetos acima citados, em especial daquele que se refere ao LABVIN. Estes dois novos Projetos estão relacionados a seguir:

a) Criação e Implementação de Sistema Inovador na Produção de Vítis vinífera na Microrregião de Diamantina, com suporte financeiro de R$ 534.692,34;

b) Criação e Atração de Negócios Ligados ao Ambiente, com Foco na Região do Alto Jequitinhonha, obtendo recursos da ordem de R$ 676.642,51.

O primeiro Projeto encontra-se em franco processo de implementação, com a seleção de empreendedores, criação e gestão de contratos e preparo de sistema de avaliação de conformidade, a ser aplicado nas propriedades incluídas. Neste Projeto, há a cooperação da EPAMIG, e o suporte gerencial da INOVALES. Está última assumiu a gestão dos contratos, contando com apoio jurídico especializado. Tão logo sejam liberados os recursos do último Projeto citado, serão ampliados os esforços de atração de investidores e de centros de P&D, como delineado pelos técnicos do Polo, da INOVALES e do Instituto Biotrópicos.

Como pode ser visto, em pouco mais de um ano de funcionamento, o Polo de Inovação Tecnológica de Diamantina foi hábil em aprovar e implementar seis projetos, todos eles com visíveis interfaces e complementariedades. O valor total dos recursos captados perfazem R$ 4.399.056,84, todos oriundos da SECTES/FAPEMIG. Este marcante sucesso foi obtido graças à visão e ao apoio da Superintendência de Ciência e Tecnologia da SECTES, na pessoa da Dra. Déa Maria da Fonseca, e aos estímulos e confiança expressos pelo Senhor Secretário, Dr. Alberto Duque Portugal. Ambos, em diferentes ocasiões estiveram em Diamantina para conhecer os trabalhos e estimular a participação dos empreendedores regionais. Crédito também deve ser dado à ACID que soube amparar as proposições dos coordenadores do Polo, quanto à necessidade de se criar um OSCIP, no caso a INOVALES, capaz de dar sustentação legal aos processos de contratação de parcerias, como já conhecido por todos, assim como de gerar novos negócios, com amplo respaldo jurídico.

Na segunda etapa de atuação, o Polo de Inovação Tecnológica de Diamantina tem com meta maior a atração de capital privado para novos negócios na região, o que já foi iniciado quando da recente missão técnica à Cafayate - Província de Salta na Argentina. Como fruto desta missão, os técnicos do Polo receberão nos dias 19 e 20 de outubro, visita técnica do Presidente de uma das maiores empresas vinícola daquela região Platina. Este vem com o intuito de fazer parte do grupo ligado à expansão da viticultura na Região. Em adição, durante o período de 10 a 17 deste mês de outubro, nova missão será feita à Portugal, com o apoio da Câmara de Comércio Luso Brasileira de Belo Horizonte e da ViniPortugal. Estão previstas inúmeras visitas a empresas, tendo como alvo a atração de investidores para os projetos do Polo.

Na oportunidade, a Coordenação do Polo reitera sua disponibilidade em ouvir e procurar atender, no âmbito da sua competência, novas demandas da sociedade organizada, cumprindo, assim, seu Plano Diretor e as diretrizes da SECTES. Vale ainda mencionar que neste seu primeiro ano de atividade, os técnicos do Polo participaram de inúmeras reuniões, a convite, ou provocaram outras, sempre reiterando seus propósitos de agirem como facilitadores na criação de projetos inovadores. Todos os setores trabalhados e que ainda não levaram adiante tais estímulos, são muito bem vindos caso tenham demandas que possam ser qualificadas e atendidas.

Prof. Luiz Eustáquio Lopes Pinheiro

Coordenador do Polo de Inovação Tecnológica de Diamantina - SECTES

Presidente da INOVALES

(38) 3532-6018

lepinheiro@inovales.org.br

www.inovales.org.br

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Prefeitura promete tirar cães das ruas de Diamantina

Fonte: Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Diamantina

A Secretaria Municipal de Saúde está lançando o projeto “Posse Responsável de Animais de Estimação” para conscientizar proprietários de cães de suas responsabilidades, bem como iniciar o recolhimento de animais de rua.

A partir do dia 28, quinta-feira, a Divisão de Zoonoses estará recolhendo os cães soltos pelas ruas da cidade.

Segundo o secretário de saúde, Rogério Pontes, a retirada dos animais se faz necessária devido ao numero excessivo de cães soltos e abandonados, causando transtornos aos pedestres, condutores de veículos e principalmente a disseminação de doenças. ‘‘Nossa intenção é recolhê-los, tratar de seus ferimentos e colocá-los para serem doados, se necessário. ’’

Os cães recolhidos serão encaminhados ao abrigo municipal, localizado na Estrada do Vau, onde receberão alimentação e tratamento veterinário adequado.

Cartilhas para sensibilizar a população.

A Secretaria de Saúde irá confeccionar cartilhas de posse responsável que serão distribuídas nas escolas da cidade. De acordo com o secretário, o abandono ocorre porque as pessoas não procuram se informar devidamente antes de levar o animal para casa. ‘‘Percebemos que grande quantidade desses animais já tiveram donos. A sociedade precisa se conscientizar que ao decidir criar um animal, deve ser por toda a vida dele”.

Pedimos para que os donos de cães não os deixem soltos nas ruas para evitar o recolhimento.

Caso seu cão seja recolhido, favor entrar em contato com a Divisão de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde, Rua da Gloria, 394 ou pelo telefone: 3531-9491, no prazo máximo de três dias, pois após este período os animais passarão pelo processo de doação.

Noite de arte espírita

image

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Programação cultural do fim de semana

Fonte: Secretaria de Cultura, Turismo e Patrimônio  - producaocultural@diamantina.mg.gov.br

Dia 22/10 - sexta-feira

- Feira de Artesanato, Comida Típica e Música ao Vivo -  Sexta Nossa

Local: Mercado Velho

Horário: A partir das 18 horas

Atração: Reginaldo e Convidados

- Seresta com o Grupo Zé Lopes - Conservatório de Música

Local: Saída da Praça JK

  Horário: 21 horas

Dia 23/10 - sábado

- Feira de Artesanato, Hortifrutigranjeiro e Música ao Vivo - Feira do Mercado

Local: Mercado Velho

Horário: A partir das 08 horas

Atração: Geraldo Roberto

- Festa de Nossa Senhora do Rosário - Procissão da Bandeira / Elevação do Mastro

Local: Saída da Rua Artur França em direção à Praça Dr. Prado

Horário: Após a Missa das 19 horas

- Vesperata

Local: Rua da Quitanda

  Horário: 21 horas

Dia 17/10 - domingo

- Café no Beco

Local: Beco da Tecla

Horário: A partir das 08 horas

- Feira de Artesanato da Quitanda

Local: Rua da Quitanda

  Horário: De 08 às 14 horas

- Festa de Nossa Senhora do Rosário - Procissão do Reinado

Local: Saída da Escola Leopoldo Miranda

Horário: 09 horas 

- Festa de Nossa Senhora do Rosário - Procissão Luminosa seguida da Santa Missa

Local: Saída da Igreja do Rosário em direção à Catedral Metropolitana

Horário: 18 horas

obs.: Neste domingo não teremos o Café com Retreta devido a Procissão do Reinado da Festa de Nossa Senhora do Rosário.

 

Prefeitura de Diamantina (MG) abre 12 vagas de nível fundamental

Fonte: Portal G1

A Prefeitura de Diamantina (MG) abriu concurso para 12 vagas de agente de combate a endemias, que exige nível fundamental. O salário é de R$ 512, mais 40% de insalubridade (veja aqui o edital).

Confira lista de concursos e oportunidades

As inscrições devem ser feitas de 25 de outubro a 8 de novembro, das 12h às 17h, na Secretaria Municipal de Administração e de Recursos Humanos, na Rua da Glória, nº 394, Centro de Diamantina, ou pelo sitewww.rumocertoservicos.com.br. A taxa de inscrição é de R$ 15.

As provas serão realizadas na cidade de Diamantina, no dia 21 de novembro.

Marcha popular pelo esporte Diamantinene

image

Há uma proposta de reunião na Largo Dom João, sábado, ás 10 horas da manhã. Em breve, mais informações.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Festa do Rosário dos Homens Pretos

Festa do Rosário. 2010

Fonte: Comissão da Festa de Nossa Senhora do Rosário/2010 e Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Diamantina

A Festa do Rosário dos Pretos se encerrará neste final de semana em Diamantina. Sábado acontece o levantamento do mastro e domingo, o Reisado com muita dança, vestes coloridas e cantos pelas ruas do centro histórico.

A prefeitura de Diamantina apóia o evento religioso, estará interditando algumas ruas centrais para o desfile do reinado e procissão no domingo, solicitamos aos motoristas que utilizem outras vias e evitem estacionar nestes locais.

Segue informações sobre trajeto da Festa do Rosário.

24/10/2010 (domingo) - 09:00 - Reinado

Trajeto; Saindo da EE. Prof. Leopoldo Miranda passando pela Rua Macau do Meio, Praça JK, Rua Direita, Rua Vieira Couto, Rua do Contrato, Praça D. Joaquim, Largo do Rosário, Mercado Velho.

Ressalta-se que o fechamento das ruas começará as 05:00 horas da manhã no domingo.

Logo após o termino da Procissão do Reinado as ruas serão liberadas, com exceção das ruas do entorno da Rua do Rosário, pois as 18:00 horas haverá Procissão Luminosa de Nossa Senhora do Rosário

Ruas que serão interditadas:

Pontos Fixos: Beco do D.A, Rua São Francisco, Beco Zé de Lota, Rua Gutembergue.

Pontos Móvel: Prça do Mercado Velho, Escola Normal, Rua das Mercês.

24/10/2010 (domingo) - 18:00 - Procissão Luminosa de Nossa Senhora do Rosário

Trajeto: Rua do Rosário, Praça Barão do Guaicuí, Praça Correa Rabelo, Catedral de Diamantina.

PROGRAMAÇÃO DA FESTA DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO -  2010

23 de outubro, sábado.

19:00 – Missa e Novena.
Após a Missa, Procissão da Bandeira, saindo da Rua Artur França, 182, para a bênção na Igreja do Rosário e elevação do Mastro.
Queima de Fogos na Praça Dr. Prado
Mordomo do Mastro: Marialice Nascimento de Jesus
Homenagem Especial: Evandro Passos, Helena Pena e Ilma Caldeira recebem as “Palmas Acadêmicas” do IHGF de Diamantina.

24 de outubro, domingo.

09:00 - Reinado saindo da Rua Macau do Meio – E.E. Prof. Leopoldo Miranda
18:00 – Procissão Luminosa de Nossa Senhora do Rosário
19:00 – Missa Festiva – Celebrante: D. João Bosco de Olivier
Passagem da Festa 2010 aos Reis Novos/ novos festeiros.

Festa de Nossa Senhora do Rosário - 2010

Tema central:
“Nossa Senhora do Rosário, rogai por nós!”
Paróquia Santo Antonio da Sé- Pároco: Darlan A. de Fátima Lima
Festeiros: Comissão da Igreja do Rosário de Diamantina
Mordomo do Mastro:
Marialice Nascimento de Jesus.

Brincadeira é coisa séria

Fonte: Assessoria de Cominicação da Prefeitura de Diamantina

A Prefeitura de Diamantina através das Secretarias de Educação e Desenvolvimento Social realizará nesta semana o projeto “brincadeira é coisa seria”, que tem como objetivo oferecer as crianças da rede municipal de ensino, dos Centros Municipais de Educação, Casa Lar, Apae, Epil e Peti, diversas atividades e brincadeiras recreativas, pipoca, algodão doce, cama elástica, tobogã inflável, casinha de bolinha, castelo pula-pula, crocpula e outros brinquedos para a criançada fazer a festa.

As atividades acontecerão no Ginásio Poliesportivo nos dias 20, 21, 22 e 23 de outubro a partir das 08 horas da manhã, no sábado, dia 23,  o evento será aberto a toda comunidade.

Projeto "Brincadeira é coisa seria"

Dias 20, 21, 22 e 23/10

Horário: 08 hs

Local: Ginásio Poliesportivo

sábado, 16 de outubro de 2010

Prefeitura divulga os dias e horários de coleta de lixo na cidade

Buscando melhor atender a população diamantinense a Assessoria de Limpeza de Urbana comunica os horários de coleta de lixo nos bairros e centro da cidade.

Confira os locais e horários da coleta durante a semana:

  • No Largo D. João o horário, segunda a sábado de 10 as 17 horas.
  • Bairros: Cazuza, Maria Orminda e Vale dos Diamantes, segunda, quarta e sexta-feira, a partir das 4 horas da tarde.
  • Bairros: Bom Jesus, Vila Operária, Palha, Cidade Nova, Bela Vista, Consolação e Rio Grande, segunda a sexta-feira, a partir das 8 horas da manhã.
  • Bairros: Arraial dos Forros, Pedra Grande, Tapeçaria, Presidente e Polivalente, segunda a sexta-feira, a partir das 4 horas da tarde.
  • Bairros: Sagrado Coração de Jesus, Santo Inácio, Penaco e centro, segunda a sexta-feira, a partir das 4 horas da tarde.
  • Bairro Campo Belo, segunda e sexta-feira, a partir das 4 horas da tarde.
  • A coleta no Campos ll – UFVJM, segunda e quinta-feira, a partir das 4 horas da tarde.
  • Distritos de Guinda e Sopa, terça-feira, às 4 horas da tarde.
  • Distrito de Mendanha, quinta-feira, ás 4 horas da tarde.

Atenção:

A coleta de capina e entulhos é de responsabilidade do gerador dos mesmos, o serviço de limpeza urbana não recolhe estes matérias.

Aos domingos e feriados não haverá coleta.

Colabore para manter a cidade limpa.

Não coloque lixo fora do horário de coleta, faça sua parte!

Fonte: Assessoria de Limpeza Urbana

Seminário de Educação Inclusiva da UFVJM

O Núcleo de Acessibilidade e Inclusão (NACI) da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri tem o prazer de convidar toda a comunidade para participar do I Seminário de Educação Inclusiva da UFVJM que acontecerá nos dias 28 e 29 de outubro de 2010 no Teatro Santa Izabel em Diamantina/MG. AS INSCRIÇÕES SÃO GRATUITAS.

Programação

28 de outubro - Quinta-feira - Local: Teatro Santa Izabel - Diamantina/MG

08h00 às 09h00 - Credenciamento

09h00 às 09h30 - Sessão solene de abertura
Profº. Dr. Pedro Angelo Almeida Abreu - Magnífico Reitor da UFVJM
Geraldo da Silva Macedo - Prefeito Municipal de Diamantina
Profº. Dr. Valter Carvalho de Andrade Junior - Pró-Reitor de Graduação da UFVJM
Profº. Dr. Herton Helder Rocha Pires - Pró-Reitor de Assuntos Comunitários e Estudantis da UFVJM
Vânia Maria Fernandes Nunes - Coordenadora do NACI/UFVJM

10h00 às 12h00 - Conferência: Contextualização do processo de inclusão
Mediadora: Profª. Ms. Sandra Regina Garijo de Oliveira - Professora do departamento de Educação Física da UFVJM
Conferencista: Profª. Elizabet Dias de Sá - Psicóloga e professora especialista na área da deficiência visual

12h00 às 14h00 - Intervalo para o almoço

14h00 às 15h30 - Conferência: Educação Inclusiva no contexto universitário
Mediadora: Profª. Giselli Mara da Silva - Professora do Instituto de Humanidade da UFVJM
Conferencista: Profª. Dra. Rosa Maria Corrêa - Professora e coordenadora do núcleo Sociedade Inclusiva da PUC-Minas

16h00 às 17h30 - Conferência: Legislação e inclusão

Mediadora: Lucimar Daniel S. Salvador - Pedagoga da UFVJM
Conferencista: Profº. Daniel Augusto Reis - Especialista em educação especial e analista do Ministério Público de MG

29 de outubro - Sexta-feira - Local: Teatro Santa Izabel - Diamantina/MG

08h00 às 09h30 - Mesa redonda: Quebra de barreiras arquitetônicas para a inclusão nas IFES
Mediador: Alexandre Henrique Amado da Matta - Psicólogo da UFVJM
Profº. Ms. Wellington Fabiano Gomes - Professor do curso de Fisioterapia da UFVJM
Profº. Dr. Marcelo Guimarães - Professor do curso de Arquitetura da UFMG

10h00 às 12h00 - Mesa redonda: Experiências na educação inclusiva
Mediadora: Vânia Maria Fernandes Nunes - Terapeuta Ocupacional da UFVJM
Profª. Dra. Agnes Maria Gomes Murta - Professora da Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde da UFVJM
Profª. Ms. Nivânia Maria de Melo Reis - Coordenadora da área da deficiência física do NAI da PUC-Minas
Profº. Adilson Pereira dos Santos - Coordenador do Núcleo de Educação Inclusiva da UFOP
Representante do Museu de Morfologia UFMG

12h00 às 14h00 - Intervalo para o almoço

14h00 às 16h00 - Mesa redonda: Patrimônio histórico e acessibilidade
Mediador: Profº. Dr. Marivaldo A. de Carvalho - Professor da Faculdade de Ciências Básicas e da Saúde da UFVJM
Profº. Dr. Marcelo Pinto Guimarães - Professor do curso de Arquitetura da UFMG
Marcelo Pontes - Arquiteto do Banco do Brasil da Agência de Diamantina/MG
Dr. Adriano Dutra Gomes de Faria - Promotor Público de Diamantina
Representante do IPHAN
Débora do Nascimento França - Coordenadora de Obras e Projetos da Prefeitura Diamantina

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Trecho entre as cidades do Serro e Diamantina recebe pavimentação

Fonte: Agência Minas

BELO HORIZONTE (04/10/10) - Os acidentados 58 quilômetros da estrada que ligam o Serro a Diamantina, no Alto Jequitinhonha, trecho da Estrada Real em Minas Gerais, estão sendo pavimentados, atendendo a uma reivindicação antiga da população. A pavimentação do trecho e outras obras de infraestrutura em andamento na região estão sendo acompanhadas de iniciativas que buscam a inserção das comunidades que ali vivem desde o século XVIII e a redução dos impactos ambientais em uma área de grande relevância ecológica.

O belo cenário, ao mesmo tempo, trás consigo os desafios de mobilizar e preparar os moradores dos municípios e distritos vizinhos e assegurar sustentabilidade às atividades turísticas que deverão aumentar quando a estrada estiver pronta.

Com investimentos de R$ 56 milhões, a pavimentação integra o Programa de Desenvolvimento Turístico (Prodetur/NE II), que cria condições para expansão e melhoria da qualidade de vida das populações por meio do turismo. Metade dos recursos vem de contrato com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a outra metade é contrapartida dos governos federal e estadual.

Preservação da fauna e flora

A obra, executada pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER), teve início nos primeiros 10 quilômetros a partir do Serro. Foi feita a terraplanagem e a drenagem, com a construção de galerias e valas. A supressão vegetal, necessária em alguns pontos da obra, tem seguido um rigoroso critério no sentido de reduzir a área desmatada e garantir a preservação de espécies da flora e da fauna, como explica o engenheiro florestal da Enecon, Rafael Botelho Leite. A empresa é responsável pela supervisão civil e ambiental da obra.

“O desmate é criterioso e acompanhado por biólogos especializados em fauna e flora. Os pequenos animais encontrados são capturados e soltos quase que de imediato em uma área no interior da mata e as espécies da flora ameaçadas são levadas para o viveiro”, afirma Rafael Leite. O viveiro, que fica no canteiro de obras e possui 400 metros quadrados, funciona como abrigo temporário para espécies da flora nativa ameaçadas e resgatadas das áreas de supressão, entre elas bromélias, orquídeas, cactus e canela de ema.

Os primeiros quilômetros entre Serro e Milho Verde são cobertos por Mata Atlântica. Na região ocorre um ecossistema conhecido como floresta estacional decidual, presente em grandes altitudes e baixas temperaturas. De acordo com o Inventário Florestal de Minas Gerais de 2007, dos 121.400 ha do município do Serro, cerca de 25% ainda conservam a cobertura original de Mata Atlântica.

Comunidades históricas

Às margens da estrada estão quatro comunidades do século XVIII: Três Barras da Estrada Real, Milho Verde, São Gonçalo do Rio das Pedras (localidades de Serro) e Val, que pertence a Diamantina. Para garantir a tranquilidade dos moradores, preservar o patrimônio histórico e cultural e as características das comunidades, os trechos próximos aos núcleos urbanos receberão pavimento poliédrico em uma extensão de 400 metros e pista para caminhantes.

Três Barras da Estrada Real é a primeira das quatro comunidades. Cerca de quatro quilômetros a frente se encontra Milho Verde, um antigo posto de fronteira da Coroa Portuguesa, que controlava, e cobrava, pelo transporte do ouro e diamante encontrado na região. Logo na entrada de Milho Verde duas cachoeiras de fácil acesso, a do Carijó e do Lajeado. O projeto da estrada prevê a construção de estacionamentos para facilitar ainda mais o acesso e a implantação de dois mirantes nos pontos mais altos, entre Serro e Milho Verde. Outros três mirantes serão construídos entre Milho Verde e Diamantina.

Mais sete quilômetros e a próxima parada é São Gonçalo do Rio das Pedras, onde a comunidade foi atendida em sua reivindicação de alterar o trajeto, de forma que ele não coincidisse com o antigo calçamento na entrada do distrito. Um pequeno desvio será feito, o que vai assegurar a preservação do patrimônio histórico, com destaque para a Matriz de São Gonçalo.

Para Adail Sincurá Ribeiro, mais conhecido como Dil, comerciante e taxista em São Gonçalo, a estrada vai aumentar o movimento. “Vai melhorar o fluxo, esta estrada “judia” da gente, com chuva não dá para sair nem para o Serro nem para Diamantina”, explica. Para fazer uma viagem a Diamantina, Dil cobra R$ 120. “Mas poderia cobrar R$ 60, se fosse asfalto. Não tem carro que consiga aguentar esta estrada, o que ganho vai pra manutenção”, desabafa.

Vila Real no Vau

Seguindo por cerca de mais 10 quilômetros e já no município de Diamantina, chega-se a Vau. Nesse ponto, como o próprio nome diz, as águas ficam rasas e é fácil atravessar o rio Jequitinhonha. Da outra margem é possível avistar casas simples e setecentistas. Além de se beneficiar pela estrada pavimentada, Vau será a sede da primeira Vila Real, um posto de serviços e informações turísticas da região, que deverá ser entregue à comunidade até o final do ano. Os moradores participam do projeto, pintando as fachadas e fazendo pequenos consertos nas casas do entorno da Vila Real.

A superintendente de Estruturas do Turismo e coordenadora do Projeto Vila da Setur, Simone Araújo, informou que o investimento de R$ 250 mil da Setur prevê lanchonete, loja de artesanato, banheiros com chuveiros para atender aos caminhantes e espaço com acesso à internet. “Aqui o turista terá a oportunidade de vivenciar a culinária e a cultura mineira. Um fogão à lenha e um forno de barro serão usados por quitandeiras da região durante todo o dia, permitindo ao visitante acompanhar a produção de doces, broas e biscoitos e aprender receitas famosas da região”, explica Simone.

A gestão da Vila Real será da própria comunidade, que contará, inicialmente, com o apoio da Prefeitura de Diamantina, da Associação do Circuito dos Diamantes e da Setur até que o projeto se sustente. O Sebrae já iniciou os trabalhos com a comunidade de sensibilização e cultura da cooperação. Até julho de 2011, quando as obras da estrada deverão estar concluídas, serão oferecidos à comunidade vários cursos de capacitação associados ao turismo.

Quem passar por Vau verá várias placas educativas, resultado de oficinas realizadas por meio do Projeto de Turismo em Comunidades Rurais, uma parceria entre o Centro de Vocação Tecnológica de Diamantina, da Secretaria de Estado de Ciência Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) e a Regional da Emater.  O projeto, presente em duas outras comunidades, tem o objetivo de incluir comunidades no processo turístico que se desenha para Diamantina, enquanto sede do Polo Turístico do Vale do Jequitinhonha.

“Procuramos fazer com que as pessoas valorizem seus recursos, sejam ambientais, históricos ou culturais”, esclarece a coordenadora regional de turismo rural da Emater, Claudete Maria Souza e Costa. As ações, definidas com a participação da comunidade, incluem apicultura, implantação de hortas e pomares, atividades turísticas, abastecimento de água e construção de fossas sépticas, para evitar o lançamento de esgotos diretamente no rio.

Destino final

Restam ainda 26 quilômetros até Diamantina, trajeto pontuado pelos marcos da Estrada Real. Após percorrer os campos nas partes mais elevadas, o antigo Arraial do Tejuco é precedido de belas formações rochosas.

A descrição do antigo arraial do Tejuco feita por Spix e Martius ainda está atual: “Parece que a natureza escolheu para a região originária dessas pedras preciosas, os mais esplêndidos campos, e os guarneceu com as mais lindas flores. Tudo que havíamos visto de mais belo e soberbo em paisagens, parecia incomparavelmente inferior diante do encanto que se oferecia aos nossos olhos admirados. Todo o Distrito Diamantino parece uma chácara artisticamente disposta, a cuja alternativa de românticos cenários alpestres, de montes e vales, se aliam mimosas paisagens de feição idílica.”

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Jequitinhonha e Mucuri elegem deputados da região

Fonte: Blog do Banu

Os Vale do Jequitinhonha e Mucuri sempre tiveram uma baixa representação na Assembléia Legislativa de Minas Gerais e na Câmara Federal. Nossa região sempre foi um lugar de candidatos de outras regiões completarem sua votação. Nestas eleições, dois deputados estaduais e dois federais foram eleitos com votos substancialmente do povo daqui.

Clique aqui para ler texto na íntegra.

Divino 2011

divino 2011

sábado, 2 de outubro de 2010

Candidata Marina Silva encerrá campanha presidencial em Diamantina

Fonte: Site Minha Marina

A candidata do Partido Verde à Presidência do Brasil, Marina Silva, estará neste sábado em Diamatina para encerrar a sua campanha. Conforme o site Minha Marina, a candidata chegará em Diamantina no meio da tarde, visitará a Casa de Juscelino e fará um conferência de imprensa no Hotel Tijuco.

Programação:

16:00 - Visita à Casa de Juscelino Kubitschek, em Diamantina (Rua São Francisco, 241 - Diamantina - MG)
17:00 - Conferência de imprensa em Diamantina (Hotel Tijuco - rua Macau do Meio, 218 - Diamantina - MG)

Características agronômicas de cultivares de alho em Diamantina

Autores: Fábio Luiz de Oliveira1; Haroldo Doria; Ricardo B Teodoro1; Francisco V Resende

Um estudo foi realizado, durante o período da safra 2007, com objetivo de avaliar as características agronômicas período de emergência das plântulas, altura de plantas, diâmetro de bulbos frescos e curados, números de bulbilhos por bulbo e produtividade comercial de quatorze cultivares de alho em Diamantina-MG. O delineamento experimental adotado foi de blocos casualizados, com quatro repetições, cujos tratamentos foram as cultivares de alho Gigante do Núcleo, Gigante de Lavínia, Gigante Roxo, Gigante Roxão, Chinês Real, Chinês São Joaquim, Cateto Roxo, Cateto Roxo (livre de vírus), Hozan, Amarante, Peruano, Caturra, Gravatá e Amarante Gouveia. As cultivares Hozan, Gigante de Lavínia, Chinês Real e Peruano apresentaram melhor desenvolvimento vegetativo inicial, com maiores valores em altura de plantas, até os 60 dias. Com relação ao número de bulbilhos/bulbo destacaram-se as cultivares Gratavá (16,5), Cateto Roxo PfLv (15,75), Cateto Roxo (15,25) e Chinês Real (15,25), diferindo das demais. A ‘Gigante de Lavínia’ destacou-se com a maior produtividade comercial (12,61 t ha-1), seguida pelas cultivares Gravatá (10,87 t ha-1), Chinês Real (10,65 t ha-1), Cateto Roxo Pf Lv (10,63 t ha-1) e Caturra (9,68 t ha-1). A Amarante Gouveia, a cultivada na região, apresentou produtividade de 7,50 t ha-1, valor inferior à média nacional (8,47 t ha-1).

Clique aqui para ler o artigo completo.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Programação cultural do fim de semana

Fonte: Secretaria de Cultura, Turismo e Patrimônio
producaocultural@diamantina.mg.gov.br

Dia 01/10 - sexta-feira

- Feira de Artesanato, Comida Típica e Música ao Vivo -  Sexta Nossa

Local: Mercado Velho

Horário: A partir das 18 horas

Atração: Adalberto Costa

- Orquestra Sinfônica Jovem de Diamantina apresenta: Mozart Corelli in Concert

Local: Igreja Nossa Senhora do Rosário

Horário: 20 horas

Dia 02/10 - sábado

- Feira de Artesanato, Hortifrutigranjeiro e Música ao Vivo - Feira do Mercado

Local: Mercado Velho

Horário: A partir das 08 horas

Atração: Grupo Saudosa Maloca

Dia 03/10 - domingo

- Café no Beco

Local: Beco da Tecla

Horário: A partir das 09 horas