quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Lá se foi 2011

Caros amigos do Passadiço Virtual,

Lá se vai mais um ano. Um período em que a blogosfera e as redes sociais confirmaram cada vez mais sua força e ampliaram as possiblidades de comunicação e democratização do acesso ás informações.

Fim de ano é tempo de olhar para trás, refletir e fazer os ajustes no percurso. Tempo de agradecer a todos vocês pela companhia nesse desafio diário que é manter esse espaço vivo. Por isso, agradeço a todos pelas contribuições, sugestões e críticas que fizeram do Passadiço Virtual um canal de troca  de informações e refelexões sobre Diamantina e o Vale do Jequitinhonha. Obrigado também aos que ficaram apenas “espiando” de longe pela “janela de vidro”. A participação e a presença de todos vocês produz a energia necessária para manter o blog.

No mês de janeiro o número de postagens reduzirá bastante, mas espero que no restante do próximo ano possamos estar juntos novamente.

Desejo a todos um “feliz tudo” e um 2012 com muita paz e saúde.

Que o verdadeiro espírito do natal esteja em nossos corações e mentes…. Inté+

Folia de Reis

Trecho do documentário "Aboiador de Violas" sobre Pereira da Viola, músico nascido no quilombo de São Julião, distrito de Teófilo Otoni, no Vale do rio Mucuri, Minas Gerais. Imagens gravadas durante a Folia de Reis na região, entre os dias 1 e 6 de janeiro de 2010.

O vídeo é uma dica bacana do Michel Becheleni no Facebook.

Muro desaba no Centro Histórico de Diamantina

Fonte: Estado de Minas - Luana Cruz - Publicação: 21/12/2011 13:39

Um muro desabou no Centro Histórico de Diamantina, no Vale do Jequitinhonha em Minas. Segundo o Corpo de Bombeiros a estrutura já apresentava rachaduras e trincas na base. Com a chuva dos últimos dias o muro despencou e por sorte ninguém ficou ferido. O acidente aconteceu na terça-feira.

Os bombeiros já haviam enviado um laudo para autoridades alertando sobre a fragilidade do muro. Além do muro, o calçamento também cedeu colocando em risco um poste. Os bombeiros isolaram o local para evitar acidentes.

Clique aqui para ver reportagem completa.

Museu do Diamante divulga edital de Exposições Temporárias 2012

O Museu do Diamante vinculado ao Ibram/Minc, localizado na cidade de Diamantina, no exercício de suas atribuições e buscando a democratização de seus serviços, lança o presente Edital de ocupação dos espaços para Exposições Temporárias do Museu do Diamante, válido para todo o território nacional.

Clique aqui para saber mais.

Diamantina é conhecida como a cidade musical de Minas Gerais

Fonte: G1 - Carolina FarahDo G1 MG

Os diamantes da região deram o nome à cidade histórica mineira conhecida pelo patrimônio e pela musicalidade. Diamantina, na Região Central do estado, inspira notas musicais, é o que dizem moradores imersos em um cenário de arte e cultura. Um artesão, um historiador e um músico lançaram um olhar sobre a cidade e um convite ao turista. “Quando chega um visitante em Diamantina, é hora de correr e juntar os amigos para apresentar a seresta. Não tem dia marcado, nem horário definido. Tocamos e cantamos por puro prazer”, diz Expedito Silvério da Silva, 79 anos, músico e seresteiro desde os tempos da juventude.

De acordo com a Secretaria Municipal de Turismo, Diamantina recebe cerca de 150 mil turistas por ano. Nas ladeiras, becos e praças, o visitante se depara com os casarões e suas histórias, que deram à cidade o título de Patrimônio Cultural da Humanidade. Mais que profissão, a música é motivo de orgulho. “O pagamento para nós seresteiros é ver o brilho nos olhos dos turistas, o canto que nos acompanha e o sorriso estampado nos rostos destas pessoas. A salva de palmas ao final é a maior recompensa”, conta Silva emocionado.

O historiador Erildo Antônio Nascimento de Jesus, 49 anos, diz que em todas as famílias da cidade existe pelo menos um músico, e não é à toa que também é conhecida como a “Capital Brasileira da Seresta”.

Clique aqui para ler reportagem completa.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Paisagem cultural em Diamantina, MG: um estudo sobre patimônio e topofilia

Autores: Mariana Lacerda, Altair Sancho, Rose Pena, José Antônio Deus.

Publiado Revista Geográfica de América Central, Número Especial EGAL, 2011- Costa Rica, II Semestre 2011, pp. 1-19

O Barroco compreende amplo fenômeno associado à arte, à vida e à história dos séculos XVII e XVIII. No Brasil, mais especificamente no estado de Minas Gerais, o barroco assumiu características próprias, passando a constituir não somente um estilo artístico e arquitetônico, mas uma forma de enxergar e compreender o mundo, diretamente associado à origem da cultura mineira. Diamantina, cidade colonial mineira reúne significativo acervo histórico e cultural barroco, o que justificou seu reconhecimento, em 1999, como Patrimônio Mundial pela UNESCO. Inspirado nas reflexões sobre paisagem, patrimônio e identidade, este trabalho visa investigar o sentimento da população local em relação ao patrimônio da cidade de Diamantina. Para cumprir tal objetivo, foi realizada pesquisa teórica sobre barroco, paisagem, mineiridade, topofilia e topofobia e, pesquisa empírica, através de entrevistas semi-estruturadas com 40 moradores de diferentes regiões da cidade. De maneira geral, a população manifesta sentimento topofílico em relação à cidade, mas demonstra certo distanciamento em relação ao patrimônio. Apesar de reconhecerem sua importância, os entrevistados expressam ressentimento em relação à valorização do centro histórico para o uso turístico em detrimento a iniciativas que aproximem o patrimônio da população, estimulando sua capacidade em valorizá-lo.

Clique aqui para ler o texto completo.

Vício entre migrantes do campo leva crack às cidades pequenas

Fonte: Rede Brasil Atual

São Paulo – Os problemas com o uso de crack e outras drogas entre migrantes nas lavouras não se encontram só no destino, nas colheitas e alojamentos. Com o vício, os trabalhadores rurais acabam por se tornar peças integrantes do círculo da disseminação das drogas até nas menores cidades do interior do país. Sem escolha, o trabalhador tem de migrar para buscar serviço por causa da falta de oportunidades no local de origem e, no retorno para a terra natal, leva consigo o crack.

Na lida da cana-de-açúcar, que apresenta grande incidência de usuários de drogas, especialmente de crack, os efeitos são perceptíveis: com grande fluxo de migrantes da cana, a região do Vale do Jequitinhonha (MG) assistiu o crescimento do tráfico de drogas aumentar em 120% entre janeiro de 2010 e setembro deste ano, segundo dados da Polícia Militar. Moradores dos pequenos municípios já convivem com realidade de violência e medo, antes não conhecida. De acordo com pesquisa feita pela Diocese de Araçuaí, a 678 quilômetros de Belo Horizonte (MG), em 2008 a região foi responsável pela migração de cerca de 100 mil trabalhadores para o corte de cana na região de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo.

Clique aqui para ler reportagem completa.

domingo, 18 de dezembro de 2011

sábado, 17 de dezembro de 2011

Melodia da história

Publicado no Divirta-se do Estado de Minas, em 17/12/2011

Instrumentos de teclado históricos e relevantes em Minas Gerais é o que não faltam, e o mais famoso deles é o órgão Arp Schnitger da Catedral da Sé de Mariana. Construído na Alemanha, na primeira década do século 18, esse órgão foi enviado inicialmente a uma igreja franciscana em Portugal, e chegou ao Brasil em 1753, como presente da coroa portuguesa ao primeiro bispo de Mariana. É um instrumento de grande importância, tanto pela sua antiguidade e comprovada autoria – já que Arp Schnitger é tido como um maiores construtores de órgãos de todos os tempos – quanto por ter sido objeto de um amplo trabalho de restauração. Entre os órgãos da manufatura Schnitger que sobreviveram até hoje, esse é um dos exemplares mais bem conservados e o único que se encontra fora da Europa.

Josinéia Godinho, que desde 2000 está radicada em Mariana – onde é uma das organistas responsáveis pela programação de concertos –, conta que seu primeiro contato com este tesouro musical se deu em 1989, logo depois da restauração da peça, em 1984. O trabalho de recuperação fez com que músicos de todos os cantos passassem a vir com certa frequência à cidade mineira para dar palestras, cursos e concertos. Para ela, o mais interessante do órgão é ser o único concebido por Arp Schnitger que se encontra fora do Velho Mundo. “Quando a gente vai para a Europa e conhece outros instrumentos do mesmo construtor, notamos esse parentesco sonoro. Ele tem um som muito bonito e a qualidade é a mesma dos outros Arp Schnitger. Se este tipo de órgão for bem cuidado, dura muitos anos, e principalmente se for muito tocado, já que quanto mais se toca, melhor. Os tubos de órgão funcionam como flautas. A passagem do ar limpa os tubos, por isso é importante seu uso contínuo”, frisa.

Enquanto isso... ... Em Diamantina

orgao lobo mesquitaUm dos órgãos barrocos mineiros mais relevantes se encontra em Diamantina, na Igreja de Nossa Senhora do Carmo, construída pelo contratador João Fernandes de Oliveira, a pedido da lendária Chica da Silva. O instrumento foi feito em Minas Gerais entre 1782 e 1787 e era tocado com regularidade pelo compositor Lobo de Mesquita, que coordenou sua construção. Há quase 60 anos parado, aguarda restauração. Segundo Marcela Bertelli, responsável pela gestão do projeto de reforma do órgão, financiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o instrumento já está desmontado e encaixotado e está sendo analisada qual a melhor alternativa para executar o trabalho.

De acordo com ela, o Brasil tem poucos órgãos que datam do período ibérico (séculos 16 e 17), como os de Mariana, Tiradentes e São João del-Rei, e que por isso não há organeiros (espécie de luthiers de órgãos), para cuidar ou reparar essas valiosas peças. “Então, obrigatoriamente, temos que enviar o instrumento para outro país ou trazer gente de fora. No caso do órgão de Diamantina, até o fim do mês vamos decidir se ele será enviado para a Espanha ou iremos trazer uma equipe de técnicos estrangeiros para Minas. Isso é mais vantajoso para a cidade, pois dá oportunidade de a população acompanhar todo o processo, participar de oficinas, mas é também mais caro”, explica Marcela.

Clique aqui para ler a reportagem completa.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Entoados

O vídeo documentário foi produzido nos municípios mineiros de Catas Altas, Diamantina, Ouro Preto, São João del-Rei, Tiradentes e Mariana. Mais do que um veículo de comunicação, o ritmo dos sineiros toca a vida nessas cidades e divulga informações importantes para a população. O documentário Entoados aborda a resistência dessa atividade e a esperança responsáveis pela preservação do ofício sineiro, executado com dedicação rigorosa por seus oficiais, como uma missão a ser cumprida.


Realização e produção - Santa Rosa Bureau Cultural
Patrocínio - Cemig e Gerdau Açominas
Projeto, coordenação e organização do glossário - Jason Barroso Santa Rosa
Produção - Luciana Lamounier
Design gráfico - Lúcia Nemer
Designer assistentes - Ester Marciano, Leandro Sacramento e Raphael Cruz (estagiário)
Fotografias - Pedro David
Desenhos - Liliane de Castro Oliveira e Bárbara de Castro Oliveira
Revisão - Irene Ernest


DOCUMENTÁRIO ENTOADOS
Direção geral, pesquisa e argumento - Jason Barroso Santa Rosa
Roteiro, direção e edição - Rodolfo Magalhães
Direção de fotografia - Leonardo Alvim
Editores assistentes - Fred Vieira e Jason Barroso Santa Rosa
Produção Executiva - Alessandra Oliveira
Direção de Produção - Luciana Lamounier

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Dança das nuvens na Serra dos Cristais

"A Dança das Nuvens" na Serra dos Cristais foi registrada durante todo o dia 13 de dezembro de 2011.

Pois como dizia o poeta:

"O olho vê,
a lembrança revê,
e a imaginação transvê.
É preciso transver o mundo." (Manoel de Barros)

Imagens e edição: Michel Becheleni.

Clique aqui para ver mais vídeos do Michel.

Agenda do fim de semana

Fonte: Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Patrimônio - (38) 3531-9537 - producaocultural@diamantina.mg.gov.br

Dia 16/12 - sexta feira

Feira de Artesanato, Comida Típica e Música ao Vivo - Sexta Nossa

Local: Mercado Velho

Horário: A partir das 18 horas

Atração: Francisco Galvão

Seresta Especial de Natal com todos os grupos de Seresta

Local: Saída da Praça JK em direção ao Mercado Velho

Horário: 21 horas

Dia 17/12 - sábado

Feira de Artesanato, Hortifrutigranjeiro e Música ao Vivo - Feira do Mercado

Local: Mercado Velho

Horário: A partir das 08 horas

Atração: Acorde Mineiro

Concerto de Natal com a Banda do 03º Batalhão de Minas Gerais

Local: Teatro Municipal Santa Izabel

Horário: 20 horas

Entrada: Ingressos serão disponibilizados antecipadamente no Teatro Santa Izabel

 

Dia 18/12 - domingo


Café no Beco

Local: Beco da Tecla

Horário: A partir das 08 horas

Feira da Quitanda

Local: Rua da Quitanda

Horário: A partir das 08 horas

Concerto de Natal com a Banda Euterpe Diamantinense

Local: Teatro Municipal Santa Izabel

Horário: 20 horas

Entrada: Ingressos serão disponibilizados antecipadamente no Teatro Santa Izabel

Seminário discute o modelo gestão intermunicipal dos resíduos sólidos urbanos e capacita os municípios do Pólo Turístico do Alto Jequitinhonha

Será realizada no dia 19 de dezembro, das 08:30 h às 16:30 h, no auditório do Auditório do Centro Administrativo da Prefeitura de Diamantina, o Seminário sobre a Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos Urbanos, para apresentar e discutir a proposta para o Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos Urbanos dos 09 municípios do Pólo Turístico do Alto Jequitinhonha: Capelinha, Couto de Magalhães de Minas, Diamantina, Felício dos Santos, Itamarandiba, Minas Novas, São Gonçalo do Rio Preto, Serro e Turmalina.

O seminário é organizado pela MYR Projetos Sustentáveis em parceria com Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SEMAD). O objetivo é apresentar o modelo de gestão proposto para os 09 municípios e colher as impressões dos representantes municipais e da sociedade civil.

O Plano está sendo elaborado pela empresa Myr Projetos Sustentáveis, especializada em assessoria e desenvolvimento de projetos na área ambiental urbana, que também está responsável pela organização e condução do Seminário.

Seminário para apresentação do modelo do Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos Urbanos dos municípios do Pólo Turístico do Alto Jequitinhonha

Centro Administrativo do município de Diamantina – 19/12/11 – das 8h às 12:30h

Auditório do Centro Administrativo
Rua da Glória – 394 – Centro - Diamantina

Informações: MYR Projetos Sustentáveis

Tel: (31) 3245-6141

residuos@myrprojetos.com.br

Jovens da EPIL participam do Projeto Escola Viva

Vídeo registra a visita de jovens à Reserva Nataral de Cerrado Curral das Pedras, em Gouveia-MG. A atividade faz parte do Projeto Escola Viva - Sensibilização Ambiental e Práticas para Uma Vida Sustentável. O projeto é realizado pela da Sociedade Protetora da Infância - Escola Profissional Irmã Luiza – EPIL, com apoio do Criança Esperança da Rede Globo  e parceria  com o Instituto Biotrópicos.

Clique aqui para conhecer mais sobre a EPIL. 

Artigo analisa estado nutricional de crianças em comunidades rurais de Diamantina

ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DE DETERMINADOS FATORES SOBRE O ESTADO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS RESIDENTES EM COMUNIDADES RURAIS DE DIAMANTINA-MG

Autoria: Paola Ferreira e colaboradores – Publicado na Revista da Universidade do Vale do Rio Verde

O aleitamento materno é considerado um dos pilares fundamentais para a promoção e proteção da saúde em todo o mundo. Apesar do amplo reconhecimento de sua importância, na maioria dos países as taxas de amamentação exclusiva ainda são baixas e a duração, insatisfatória. O presente estudo buscou caracterizar o estado nutricional de crianças na faixa etária entre cinco e nove anos e comparar com as variáveis tempo de amamentação exclusiva, renda familiar, escolaridade da mãe e número de membros na família destas crianças, residentes em nove comunidades rurais de Diamantina - MG, Brasil. Para avaliação do estado nutricional, foram utilizadas medidas antropométricas de peso e estatura, construídos índices e estabelecidos pontos de corte segundo as curvas do National Center for Health Statistic - NCHS. Para obtenção das variáveis foi utilizado um questionário desenvolvido pela equipe. Cento e quarenta e nove crianças foram sorteadas aleatoriamente (n calculado para atender aos critérios: significância 0,05 e poder do teste 0,9). Os resultados mostraram que 76,87% das crianças encontrava-se eutrófica, 19,73% encontrava-se em risco nutricional (baixo peso e desnutridas) e 3,4% encontrava-se com sobrepeso. Os dados revelaram que em crianças que não foram amamentadas exclusivamente até os seis meses de idade, houve predomínio de risco nutricional. Observou-se ainda que o estado nutricional é afetado pelo número de membros na família e escolaridade da mãe. O risco nutricional está atingindo populações rurais, formadas principalmente por famílias de baixa renda e com dificuldades de acesso a serviços de saúde, tornando necessárias ações para reverter tal quadro.

Clique aqui para ler artigo completo.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Hoje tem “Um pé de Quê ?”

Dica esperta da Sâmia : hoje,  22h no Futura tem “Um Pé de Que?” gravado em Diamantina! Imperdível!

Clique aqui para saber mais

Diamantina agora é universidade

Publicado no Jornal Público, Portugal – clique aqui para ler o texto completo.

Neste beco tem garrafeira gourmet e o último livro de Tony Judt. É São Paulo, Rio, Brasília? Não, é Diamantina, nas montanhas de Minas Gerais.

Diamantina sustentou Portugal com ouro e diamantes. Depois ficou um presépio de casinha, janela de guilhotina e igreja barroca sem a riqueza de Ouro Preto. O dono de uma loja de ferragens com 200 anos pode aparecer-nos a falar do avô de Penafiel.

Essa é a história-para-trás-das-costas.

A história-para-a-frente é esta: Diamantina agora é universidade, 30 cursos. E olhem o trio que acaba de entrar na garrafeira gourmet. Três jovens professoras de Direito, às compras, na hora de almoço. Têm salário para vinho chileno e azeite do Alentejo. E têm discurso, cada uma o seu.

A mais desapontada com Lula é a mulata Lisieux - nome assim mesmo francês -, que parece uma sindicalista de mão na anca, mas dirige a faculdade: "Vivemos muito tempo com o centro-direita, e o Lula no poder trouxe a ideia de que os pobres podem fazer a mudança. Essa ruptura de que o povo fala pelo povo foi importante. Mas no poder Lula tornou-se centro-direita, por causa dos grupos de pressão. Eu gostaria que ele fosse o que ele era."

Thais, uma especialista em Bioética que podia ser dupla de Penélope Cruz, tempera a indignação: "Eu também queria que ele fosse mais ele. Mas a grande vantagem do Lula é mostrar que os brasileiros podem sair de qualquer lugar e chegar à presidência."

"Mas isso é uma mentira!", protesta Lisieux. "Ele vende um sonho americano. Foi para o meio do sistema e conseguiu, mas não é para todo o mundo." Thais esclarece: "Não queria dizer só chegar à presidência, mas a qualquer lugar melhor. É a ideia de que eu posso ficar melhor se sair da inércia." E as duas envolvem-se num debate sobre a corrupção e os votos comprados.

A última do trio, Christiane, dá uma nota optimista: "A Justiça Eleitoral tem feito uma boa campanha para explicar às pessoas que não devem vender o seu voto, que o candidato não pode portar-se assim." Thais concorda: "É. Há outra consciência de que você não pode vender o seu voto. Está-se trazendo para o universo de cada um o que significa eleger alguém."

Ao mesmo tempo, o Brasil é aquele país que produz candidatos como Tiririca, um comediante de televisão, lembra Lisieux. "A campanha dele é assim: "Você sabe o que faz um deputado federal? Eu também não. Vote em mim que eu te conto." E este homem pode ter 900 mil votos em São Paulo! Ou seja, as pessoas desconhecem qual é o papel dos políticos." Dizem: "Já que é uma palhaçada, vou votar no Tiririca"", explica Thais. "É um voto de protesto. Mas ele está gastando três milhões e meio de reais na campanha."

Exposição Boneca e Memória

Fonte: Blog do Museu do Diamante

A exposição é resultado do trabalho realizado na oficina de Boneca e Memória, promovida pelo Museu do Diamante, entre os meses de setembro e dezembro, fazendo parte das atividades da 5ª Primavera dos Museus, e que reuniu mulheres do CRAS da comunidade da Palha e da Associação de Moradores da Vila Operária, em Diamantina/MG. Através da investigação da memória, elementos do imaginário e dos processos de criação individuais e coletivos, construíram uma linguagem escrita com tecidos, liberdade e feituras traduzidas nas bonecas: retratos da alma.

Abertura da exposição será dia 16 de dezembro (sexta-feira) às 19h:00.
Visitação: 17 a 23 de dezembro de 2011 (terça a sábado)
Horário: 12h:00 às 17h:30
Local: Sala de exposições temporárias do Museu do Diamante
Rua Direita, 14 - Centro - Diamantina/MG.
Maiores informações pelo telefone (38) 3531 1382 .

Natal SEM luz em Diamantina

Autor: Wellington Gomes

Recentemente vi aqui no blog a programação do projeto Natal Luz da prefeitura de Diamantina e fiquei feliz com a iniciativa, com a amplitude da ação e do cronograma que saiu daquela previsível, enxuta e habitual “Agenda do Final de Semana”.

Mas hoje vi que a luz não é para todos (não podia deixar de fazer este trocadilho!).

Entendam os fatos:

Terça-feira, 13 de dezembro de 2011, fui ao posto de saúde do Rio Grande (ESF Viver Melhor) levar meu filho recém-nascido e minha esposa para uma consulta previamente agendada.

Fomos recebidos e atendidos de forma primorosa por todos os profissionais (agentes de saúde, enfermeira, médica, pessoal da limpeza,...), contudo uma coisa chamou a atenção: não tinha energia elétrica no posto de saúde apesar do fornecimento estar normal no bairro.

Ouvimos de uma senhora da comunidade que o corte no fornecimento se deu por falta de pagamento da conta de luz pela prefeitura.

Como isto pode acontecer?

E o risco de perda das vacinas armazenadas na geladeira do posto?

É uma falta de respeito com os profissionais que ali trabalham e com toda a comunidade atendida pelo ESF.

Será que a prefeitura já ouviu falar em débito automático ou coisa similar que impeça situação semelhante?

Conversei com os funcionários e eles não quiseram se expor muito, mas deu pra sentir que faltam muitas coisas além da energia: formulários, receituários, vagas para exames de ultrassom (direito da gestante),...

Não falta é energia aos funcionários do posto que sempre atenderam minha família de forma elegante, profissional e competente.

Um final de ano de luz para toda equipe e um brilhante 2012.

A atenção primária é a chave da saúde da população. Prevenir tem menor custo que remediar.

Fazendo um paralelo: possivelmente a prefeitura (ou melhor: os contribuintes) terá que pagar a taxa de religação da fornecedora de energia.

 

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Teatro Municipal Santa Izabel divulga comunicado

A coordenação do Teatro Municipal Santa Izabel, vem por intermédio deste, comunicar a toda a população diamantinense que, embora, o Teatro tenha sido inaugurado no dia 13 de Julho do ano de 2010, ainda encontra-se em execução etapas de implementação do projeto. Entre essas, faltava a implantação da cenotecnia (cortinas) e cenotécnica (iluminação) para a Sala de Teatro La Port. Somente no mês de novembro do corrente ano aconteceu o processo licitatório para a contratação de uma empresa especializada para montagem da parte da cenotecnia (cortinas). Nesse mesmo mês, os representantes da empresa, estiveram presentes no local para análise e medições do espaço.

A informação dos técnicos é que o prazo para conclusão dos trabalhos será de 60 (sessenta) dias para a montagem. Portanto, foi solicitado aos representantes da empresa que, devido ao longo período de execução das obras, iniciassem as montagens a partir do mês de Janeiro para termos a possibilidade de dar continuidade à agenda do mês de Dezembro, tendo em vista a existência de contratos e termos de cessão assinados junto a grupos, artistas e empresas conforme procedimentos já utilizados pela administração do teatro.

Sendo assim, a partir do dia 02 de Janeiro a 02 de março de 2012 a Sala de Teatro “La Port” estará interditada, não podendo enfim ser utilizada para qualquer tipo de eventos culturais, sendo possível a utilização apenas da Galeria Martha Moura (sala de exposições). Tão logo as obras sejam concluídas, voltaremos com o agendamento cultural.

Em respeito à nossa população estamos enviando este comunicado. Certos de contarmos com o apoio e compreensão de todos, antecipamos agradecimentos.

COORDENAÇÃO DO TEATRO MUNICIPAL SANTA IZABEL

DIAMANTINA, 13 de DEZEMBRO/2011

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Câmara e Senado lançam biografia de JK

Fonte: Câmara dos Deputados

Será lançado nesta terça-feira às 19 horas, no Salão Negro do Congresso Nacional, o livro "Biografia Concisa de JK - Sonho e glória, amor e dor" de autoria de Ronaldo Costa Couto e coedição da Câmara e do Senado. A parceria entre as duas Casas legislativas permitiu o resgaste histórico da carreira política e da vida de Juscelino Kubitschek.

A obra reúne relatos de pessoas que presenciaram a vida do mineiro de Diamantina que mudou a história do Brasil rural. JK construiu Brasília, desencadeou a marcha para o interior, impulsionou a economia brasileira com a implantação da indústria automobilística e ampliou a infraestrutura com a construção de hidrelétricas, rodovias e ferrovias.

Ronaldo Costa Couto já havia lançado o livro “Brasília Kubitschek de Oliveira”, e relata que nesta nova obra há depoimentos inéditos de fatos pouco conhecidos do ex-presidente. Segundo o autor, uma das revelações mais impressionantes é o de Maria Lúcia Berengues, secretária de JK no exílio, em Paris. Ela contou que o Juscelino chegou a pensar em se suicidar se não pudesse voltar ao Brasil.

Os presidentes da Câmara e do Senado, Marco Maia e José Sarney, vão participar da cerimônia de lançamento da obra.

Reportagem – Sandra Amaral/TV Câmara
Edição – João Pitella Junior

Clube do Samba de Diamantina

sábado, 10 de dezembro de 2011

Campanha do buraco

Clique aqui para compartilhar a campanha no Facebook.

Ministério da Educação garante: UFVJM abrirá campus em cidades do Vale

Fonte: Blog do Banuclique aqui para ler mais.

Uma grande notícia para todo o Vale do Jequitinhonha: nesta terça-feira, 06.12, o Secretário de Educação Superior - SESU do Ministério da Educação, Luiz Cláudio Costa, garantiu que a UFVJM – Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri terá sua expansão com abertura de campus na região, a partir de 2013.

O anúncio foi feito a uma comitiva de 16 lideranças (5 prefeitos, 4 vereadores, líderes sindicais/partidários e representantes do Movimento A UFVJM é nossa!) das microrregiões de Capelinha e Almenara. A audiência foi marcada, acompanhada e coordenada pelo deputado federal e presidente do PT, Reginaldo Lopes. Também o deputado federal Leonardo Monteiro esteve presente.

O Secretário da SESU disse que conhecia bem a região, principalmente o Alto Jequitinhonha.
Estavam presentes na Audiência os prefeitos Pedro Vieira, de Capelinha; Carlos Magno Ferreira, de Água Boa; Zélia Cardoso de Souza, de Angelândia, do Alto Jequitinhonha; Fabiany Ferraz, de Almenara e Raniene Jose da Silva, de Santo Antônio do Jacinto, do Baixo Jequitinhonha; três vereadores de Capelinha, Cleuber Luiz, Wilson Coelho e Laerte Barrinha, além do presidente da Câmara de Água Boa.

O Movimento A UFVJM é nossa! estava representada por Álbano Silveira Machado, de Berilo, e Hélio Souza, de Capelinha. Terezino do Sindicato, Fátima Pimenta e Nicinha estiveram presentes como representantes sindicais, de movimentos sociais e partidários de Capelinha, e Aécio do Sindicato, de Almenara. A Comitiva de Capelinha foi liderada por Welito Vitor, Chefe de Gabinete da Prefeitura.

Após a fala de todos os presentes, o professor Luiz Cláudio Coutinho registrou a prioridade que o governo Lula deu à educação superior, realizando a sua interiorização com a criação de Universidades Federais. E arrematou: de 10 Universidades criadas, 9 tiveram a nota 4 no ENADE, em uma escala de 0 a 5, mostrando que os habitantes destas regiões esquecidas pelo Estado davam resposta positiva com o aproveitamento dos seus estudantes. Afirmou que a Presidenta Dilma dava continuidade à política educacional do Presidente Lula e que anunciaria nova criação de campus, em 2012.

Informou que não poderia precisar quantos campi seriam criados e em quais cidades. Somente no segundo trimestre de 2012 poderia divulgar os resultados de um estudo técnico que seria feito pelo MEC.

Critérios para instalação de campus
Adiantou alguns critérios, entre outros, que seriam necessários para a instalação de campus:
1 - Estar a uma distância de 200 km de outros campi já instalados;
2 - Ter uma densidade demográfica e educacional de ensino médio que justifique tal projeto;
3 - Possuir infra-estrutura urbana e operacional de serviços públicos e privados;
4 – Possuir uma facilidade de acesso às cidades vizinhas. Este acesso, segundo o REUNI, deveria contemplar um universo mínimo de 200 mil habitantes. A região com maior densidade populacional seria priorizada;
5 – Oferecer a contra-partida local com doação de terreno para construção da infra-estrutura do campus.

Luiz Cláudio disse que muitas cidades gostariam de ter um campus, porém os critérios técnicos acima deveriam ser seguidos e sua estrutura mínima inicial teria 5 cursos.

As cidades de Capelinha, Araçuaí e Almenara, no Alto, Médio e Baixo Jequitinhonha, respectivamente, já apresentaram seus projetos, mostrando viabilidade técnica e geopolítica em suas candidaturas. Estas cidades se candidatam a ser sedes dos 3 campi, conforme aprovação do CONSU – Conselho Universitário da UFVJM.

Os projetos atendem a todos os critérios exigidos pelo MEC e Reitoria da UFVJM.

Outras cidades do Vale do Jequitinhonha se movimentam para também apresentarem seu desejo de ter um campus. Itaobim, no Médio Jequitinhonha, também apresentou projeto técnico procurando se viabilizar como sede de campus.
Recentemente, nos últimos 15 dias, duas cidades do Alto Jequitinhonha, Minas Novas e Itamarandiba, também se apresentam como candidatas, fazendo manifestação pública nesta sexta-feira, 09.12, em prol de um campus da UFVJM.

Livro narra caça a João Gilberto em tom policial

Fonte: Cidade Verde

Um jornalista alemão, Marc Fischer, intrigado pela figura de João Gilberto --misto de fascínio pelo artista e de amor e ódio pelo homem que não sai de casa, não se deixa ver e não fala com ninguém, mas hipnotiza as pessoas à distância--, acaba de produzir um livro apaixonante: "Ho-ba-la-lá - À Procura de João Gilberto".

Algum brasileiro escreveria livro igual? Não é o nosso jeito --somos muito solares. Quem mais faria do inventor da bossa nova o personagem de um "roman noir" composto de fatos reais, com especulações (surpreendentemente a propósito) sobre a morte, o destino, a solidão, a fala por silêncios e a sensibilidade para com o invisível?

Quem mais mostraria João Gilberto como um sonhador, um iogue, uma jiboia, um mutilado de guerra, um vampiro ou um homem que, 10 horas por dia, cria obras-primas para as paredes? Um homem onipresente no coração e mente das pessoas que o cercam, muitas das quais não o veem há dez anos --ou nunca o viram. E que representa o perigo --há quem tema se apaixonar ou se deixar escravizar se se aproximar dele.

A narrativa não para, nem quando o autor faz reflexões. Como na sua ida a Diamantina (MG), onde, nos anos 50, João Gilberto, no banheiro da casa da irmã, inventou a batida de violão da bossa nova, tocando, entre outras, "Ho-ba-la-lá".

Fischer penetra na casa (hoje, uma imobiliária), tranca-se no banheiro e conclui que, nos seus humildes 5 metros quadrados, este só comportaria um homem e um violão se o sujeito estivesse sentado no vaso. Testa (com seu próprio "Ho-ba-la-lá") a sonoridade do violão nos ladrilhos e azulejos ("Os canos se lembram de quem lavou as mãos em sua água?"). E admite que os cristais que Otávio Terceiro afirma existirem debaixo da casa podem ter contribuído para a pureza do som de João Gilberto.

Clique aqui para er texto completo.

Bastidores de “Rei Davi” em Diamantina

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Informativo Gruta do Salitre

Fonte: Instituto Biotrópicos

A Gruta do Salitre encontra-se fechada à visitação pública desde o último dia 03, e deverá permanecer fechada ao longo de todo o mês de dezembro. O forte e prolongado período chuvoso tornou as pedras muito escorregadias e provocou o alagamento da porção baixa, denominada circo, acarretando dificuldades de acesso e riscos de acidentes aos visitantes. Nos próximos dias, a Prefeitura Municipal de Diamantina conduzirá obras de manutenção (patrolamento e cascalhamento) da estrada que comunica Diamantina a Curralinho que se encontra bastante degradada, bem como da área de estacionamento da gruta, hoje seriamente comprometida com inúmeras erosões. Enfatizo também a grande dificuldade logística de se manter o atrativo aberto nos dias de chuva com a permanência segura no local de monitores e dos oficiais da Guarda Municipal e Polícia Militar. Assim sendo, a gruta fica automaticamente fechada a visitação nos horários previamente estabelecidos em caso de chuva. Informo que já estamos trabalhando para que o atrativo natural seja reaberto à visitação oferecendo melhores condições aos usuários. A reabertura será comunicada por meio de informativo como esse tão logo possível no mês de janeiro de 2012.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Clube do Samba de Diamantina

Diamantina receberá Centro de Atenção Psicossocial para Usuários de Álcool e Outras Drogas

Fonte: Secretaria Estadual de Saúde, com dica do Blog do Banu

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais divulgou no sábado, dia 03 de dezembro, a lista dos 20 municípios contemplados com o Centro de Atenção Psicossocial para Usuários de Álcool e Outras Drogas (CAPS AD). No total, o Governo de Minas irá investir R$ 2 milhões para construção das unidades nos municípios de Araguari (Triângulo do Norte), Araxá e Frutal (Triângulo do Sul), Barbacena e São João Del Rei (Centro-Sul), Curvelo, Nova Lima e Sete Lagoas (Centro), Diamantina (Jequitinhonha), Divinópolis e Pará de Minas (Oeste), Itajubá, Poços de Caldas, São Sebastião do Paraíso e Três Corações (Sul), Juiz de Fora (Sudeste), Pedra Azul e Teófilo Otoni (Nordeste) e Unaí (Noroeste).

Para receber o recurso, os municípios terão que assinar um termo de compromisso e a Coordenadoria Estadual de Saúde Mental deverá autorizar a liberação do incentivo financeiro, que será de R$ 100 mil para cada CAPS AD, sendo o recurso repassado em parcela única do Fundo Estadual de Saúde para o Fundo Municipal de Saúde.

Na região nordeste de Minas, o Caps AD de Pedra Azul irá contribuir para que os usuários em vulnerabilidade possam ter um centro de referência capaz de prestar um atendimento de qualidade e preenchendo um vazio assistencial existente na região.

A coordenadora do Núcleo de Atenção à Saúde da Gerência Regional de Saúde de Pedra Azul, Kátia Figueiredo, ressaltou que a GRS tem trabalhado incansavelmente para fortalecer a atenção à saúde na região. “O fato de termos o município de Pedra Azul entre os 20 municípios contemplados mostra que temos tido êxito no nosso trabalho. Para o ano de 2012, a nossa meta será a de conseguirmos mais um Caps Ad para o município de Itaobim e um Caps i para o município de Almenara, para que a nossa demanda possa ser atendida”, disse.

Já a coordenadora do Caps I do município de Pedra Azul, Lilliam Silveira, explicou que o Caps AD de Pedra Azul irá atender a demanda de 19 municípios da microrregião de Almenara e Pedra Azul. “Na nossa região, encontramos sérias dificuldades a serem superadas para lidar com a problemática de álcool e outras drogas, público este que encontra-se com uma demanda crescente a cada dia. Por isso, acredito que a implantação deste serviço especializado no nosso município tende a favorecer a articulação da rede, permitindo  ações contínuas  intersetorial em benefício ao público atendido”, concluiu.

CAPS

O Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) é um serviço de saúde voltado para a comunidade, preparado para acolher e cuidar de pessoas com problemas mentais graves e seus familiares, estimulando a convivência familiar e social, apoiando e incentivando iniciativas de busca de autonomia através da oferta de atendimento especializado.

No caso do CAPS AD, é destinado a acolher e cuidar de pessoas com dificuldades decorrentes do uso prejudicial de álcool e/ou outras drogas. O trabalho busca reintegrar o indivíduo à sociedade de forma produtiva e participativa a ambientes sociais e culturais, onde se desenvolve a vida cotidiana e familiar.

Record demite funcionários após escândalo em Diamantina

Fonte: TV Tudo (Clique aqui)

Não é só a Globo que vive de “bafões” nos bastidores. A Record também tem os dela. O último foi tão “quente” que acabou em demissão. De acordo com Leo Dias, colunista do jornal O Dia, dois funcionários envolvidos com a produção da minissérie Rei Davi foram despedidos após serem flagrados fazendo saliência durante uma viagem para Diamantina, em Minas Gerais. Conforme o colunista, uma cabeleireira casada manteve relações sexuais com o diretor de operações no hotel em que a equipe estava hospedada.

A cidade histórica mineira será usada como pano de fundo para a minissérie da Record. Por causa disso, dezenas de profissionais foram enviados ao município, mas não puderam trabalhar porque a chuva não deu trégua. Atores, produtores e equipe técnica foram obrigados a passar os dias trancados no hotel. Sem nada pra fazer, o casal aproveitou para se divertir. O problema é que eles não fizeram questão alguma de esconder e teriam transado a noite toda na varanda do hotel, sem economizar nos ruídos.

O caso demorou um pouco para vir à tona, mas a direção do RecNov (o complexo de estúdios da Record que fica no Rio de Janeiro) acabou descobrindo e demitiu os funcionários assim que a equipe voltou de Minas.

E o pior (ou melhor) é que esse não foi o único escândalo ocorrido em Diamantina. Na cidade, comenta-se que os rapazes do grupo iam com frequência a uma república de estudantes fazer farra com as meninas; algumas, menores de idade.

Rei Davi tem estreia prevista para janeiro. A minissérie é protagonizada por Leonardo Brício, escrita por Vivian de Oliveira e terá 29 capítulos. Como o tempo não permitiu as gravações em novembro. Nova viagem a Minas foi marcada para os próximos dias.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

O Brasil está chamando você

Natal de Luz em Diamantina

Serestas, concertos, autos de natal, decorações especiais e visita do Papai Noel são algumas das atrações durante o mês de dezembro, na cidade dos diamantes

Luzes e canções encantarão os turistas que estiverem em Diamantina para celebrar o Natal. Durante o mês de dezembro, a Prefeitura da cidade realiza o projeto Natal Luz, que tem como tema a preservação do meio ambiente e das manifestações culturais.

Materiais reciclados iluminados com pisca-piscas dão vida à magia da festa natalina. Ao longo do mês, é possível admirar a ornamentação dos casarões coloniais no Centro Histórico e a decoração das praças: Bom Jesus, Largo Dom João, Praça Barão de Guaicuí (Mercado Velho) e Praça do Pão de Santo Antônio.

Conhecida pela musicalidade, Diamantina terá também uma vasta programação de eventos, com diversas apresentações artísticas. De acordo com a secretária municipal de Cultura, Turismo e Patrimônio, Márcia Betânia, a preservação da cultura local é de extrema importância para o desenvolvimento da cidade. “Acreditamos que encontros sociais e culturais, comemorativos ou festivos, valorizam nosso legado. E isso, contribui também para o fomento do comércio e turismo de Diamantina”, comenta.

Concursos

Com o objetivo de deixar a cidade ainda mais bonita, as secretarias de Cultura, Turismo e Patrimônio e de Educação, em parceria com a Associação Comercial e Industrial de Diamantina (ACID) e com a Câmara de Dirigentes Lojistas de Diamantina (CDL), incentivam decorações de casarões residenciais, particulares, condomínios e prédios comerciais. Dessa forma, foram criados os concursos Luzes de Natal e Vitrines Natalinas, que serão realizados até 23 de dezembro. A finalidade é a confraternização dos diamantinenses durante as comemorações de Natal. Além disso, o concurso de decoração de vitrines vai estimular as vendas de final de ano na cidade.

Viva Diamantina

A cidade fica a menos de 300km de Belo Horizonte, 740km de Brasília, 780km do Rio de Janeiro e 890km de São Paulo. Diamantina respira música, com diversos grupos reconhecidos nacionalmente. O conservatório de música, por exemplo, atinge a cifra invejável de 1700 alunos. Além disso, o município é reconhecido pela excelente cachacinha, belíssimas cachoeiras e ótima hospitalidade, com uma rede grande de pousadas e hotéis.

PROGRAMAÇÃO

DATA

EVENTO

HORÁRIO

LOCAL

08/12 (quinta- feira)

Inauguração da iluminação de Natal

-Pastorinhas/VEM

- ChoCho Frê

-Banda Mirim

-Descida do Papai Noel

-Bloco Infantil Rato Seco

18h

Praça do Mercado

09/12 (sexta-feira)

Inauguração da iluminação de Natal

-Banda Mirim

-ChoCho Frê /Pastorinhas

- Papai Noel

- Bloco Infantil Rato Seco

19h

Praça Largo Dom João

10/12 (sábado)

Inauguração da iluminação de Natal

-Meninas da Chica

-Banda Mirim

- Papai Noel

20h

Praça Bom Jesus

11/12 (domingo)

Inauguração da iluminação de Natal

-Meninas da Chica

-Banda Mirim

- Papai Noel

- Bloco infantil Rato Seco

20h

Rio Grande – Praça do Pão

15/12 (quinta-feira)

Auto de Natal – Conservatório Estadual de Música “Lobo de Mesquita”

20h

Praça da Catedral

16/12 (sexta-feira)

Seresta especial de Natal – Associação dos Seresteiros de Diamantina

21h

Saída da Praça JK em direção ao Mercado

17/12 (sábado)

Concerto de Natal Banda 3º BPM

20h

Teatro Santa Izabel

18/12 (domingo)

Conserto de Natal Banda Euterpe Diamantinense

20h

Teatro Santa Izabel

20/12 (terça-feira)

Concerto de Natal Banda Mirim

20h

Teatro Santa Izabel

20/12 (terça-feira)

Visita do Papai Noel aos bairros

10h

Bairros de Diamantina

21/12 (quarta-feira)

Visita do Papai Noel com Banda 3ºBPM

14h

Frederico Ozanan, Casa Lar, Pão de Santo Antônio

23/12 (sexta-feira)

Concerto de Natal – Abertura banda infantil Meninos de Ouro / Procaj

Concerto de Natal da Orquestra Sinfônica Jovem de Diamantina

19h30

Teatro Santa Izabel

30/12 (sexta-feira)

Concerto de Natal da Orquestra Sinfônica Jovem de Diamantina

20h30

Teatro Santa Izabel

Serviço

Natal Luz em Diamantina

Data: durante o mês de dezembro

Local: Diamantina – MG

Fonte: Viva Diamantina - Assessoria de Imprensa: Partnersnet Comunicação

Jornalista responsável: Luciana Mayer (31) 3029.6864 – luciana@partnersnet.com.br

Tai Chi Chuan no Museu do Diamante

Fonte: Blog do Museu do Diamante

O Tai Chi Chuan é uma arte marcial chinesa conhecida também como uma forma de meditação em movimento, sendo atualmente uma arte praticada no mundo todo. Nas aulas de Tai Chi Chuan a pessoa é ensinada a ter consciência de seu próprio equilíbrio e o que o afeta, e a apreciar os valores práticos de sua habilidade de moderar extremos do comportamento e atitude em nível mental e físico.

Você pode praticar o Tai Chi Chuan todas as segundas e sextas a partir das 18h:00 com o professor Calebe Ribeiro no Museu do Diamante.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Brasil Futebol Clube

Cine Teatro Santa Izabel ganhará estrutura cenotécnica completa

Fonte: Defender

Na noite de 13 de julho de 2010, a comunidade Diamantinense reunia-se para festejar uma importante parceria entre o IPHAN, programa Monumenta e a Prefeitura que, juntos entregaram para a cidade o Cine Teatro Santa Izabel, antiga Cadeia Velha e o Galpão Oficina Escola do IPHAN.

Com investimentos de R$ 1,7 milhão, o Programa Monumenta, em parceria com a prefeitura de Diamantina, recuperou o prédio da Cadeia Velha, restaurando a fachada e requalificando o imóvel para a implantação de um espaço cultural. O Iphan investiu ainda mais R$ 600 mil para a aquisição das poltronas, sonorização e vídeo, mobiliário administrativo e vestimentas cênicas.

Em nova etapa, a Superintendência do IPHAN em Minas Gerais contratou uma estrutura cenotécnica completa para o Teatro, orçada em R$ 301.470,00 (trezentos e um mil quatrocentos e setenta reais), em conformidade com o projeto do Programa Monumenta.

Junno Marins, Chefe do Escritório Técnico de Diamantina, informa que a obra terá duração de 90 (noventa) dias, e que, tal empreendimento enriquece ainda mais a Cultura propiciando para a cidade de Diamantina e região um palco digno de suas atrações.

Clique aqui para saber mais.

Natal de Luz 2011

Fonte: Prefeitura de Diamantina

A Prefeitura de Diamantina convida para as atrações do Natal de Luz 2011. Dia 08/12, quinta- feira, haverá inauguração da iluminação de natal na Praça do Mercado Velho, a partir das 18 horas.

Confira a a programação completa (clique na imagem para ampliar)

cartaz Natal Luz 2011 (1)

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Encontro de Comunicadores do Vale do Jequitinhonha

Objetivo: Além de ser um momento de formação para os participantes, com debate e colocações sobre o Direito a Comunicação e oficinas práticas, o encontro tem como objetivo formar a rede de comunicadores populares do Vale do Jequitinhonha. É um passo na integração de várias iniciativas já vivenciadas, valorizando os protagonistas da comunicação local e incentivando a divulgação de uma outra imagem do Vale e do Semiárido mineiro.

Clique aqui para saber mais.

Visite Diamantina, conheça nossos buracos

Museu do Diamante lança série de postais "Museu e Memória"

Em breve o Museu do Diamante lancará a série de Postais "Museu e Memória". Com imagens que retratam o trabalho de artífices da cidade de Diamantina com pinturas do séc. XVIII. Os postais serão distribuidos gratuitamente no Museu do Diamante a partir do ano que vem.

Clique aqui para saber mais.

Trilha Verde da Maria Fumaça

image

Entre 1910 e 1914 foi construído antigo ramal ferroviário ligando Diamantina a Corinto, desativado em 1973. Obra épica de engenharia, ligava a antiga região das minas, no topo do Espinhaço, aos gerais, ou sertão – palco da obra de Guimarães Rosa. Na época, a república ainda engatinhava. Sonhos e projetos desenvolvimentistas (“Ordem e Progresso!”) deveriam diferenciá-la da estática estrutura social da monarquia do século anterior. Numa época em que automóveis eram brinquedos de luxo e quase não havia caminhões e estradas de rodagem, o trem de ferro foi arauto do progresso. Cidades não servidas por trem eram condenadas ao atraso. Além do transporte da produção local e insumos, ao longo da linha férrea corria o telégrafo, meio mais rápido para a transmissão de notícias. Observe-se que o ofício de telegrafista foi início de carreira para JK, maior estadista do século…

Pontilhão Monjolos (Fotos do Acervo – Caminhos da Serra)Em que pese sua importância histórica, o ramal foi desativado pelo governo militar, sem consulta às comunidades locais. Trilhos e dormentes vendidos, restou o leito. Súbita e enorme decadência desabou sobre as localidades à beira da ferrovia. Contudo, o abandono ajudou a preservar a belíssima região ao longo do trajeto. Hoje, a exemplo do que ocorre em países europeus, está em curso excelente projeto de preservação e desenvolvimento turístico do trecho, liderada pela ONG Caminhos da Serra, apoiada pelas comunidades locais e poder público. A via será transformada na primeira estrada-parque ferroviária do Brasil. As antigas estações, hoje tombadas, servirão como museus e pontos de apoio aos visitantes.

Seguramente, é um dos roteiros mais bonitos de Minas, aberto a caminhantes, ciclistas e cavaleiros. Vale a pena iniciar o passeio a uns 10 km de Diamantina, próximo ao manancial Pau-de-Fruta, a 1300 m de altitude. Em suave aclive, o trilho passa por uma solitária araucária (eram plantadas por bandeirantes e tropeiros, para marcar os caminhos e dar-lhes alimento). Logo a seguir, vê-se o pico do Itambé à frente e à esquerda, quase sempre encoberto pela bruma matinal. Chega-se então ao ponto ferroviário mais alto da história brasileira, a 1420 m de altitude. Daí, suavemente se chega a Bandeirinhas, onde a trilha corta o asfalto ao lado de uma capelinha colonial, a 10 km do início do trajeto.

Logo a seguir, começa o suave declive que nos conduz ao vale do São Francisco. Pequenos cortes nas pedras surgem ladeando o visitante, e à frente se contorna erosão na trilha, causada por um garimpo desativado. Com pouco mais, já se descortina, à direita, imensa curva contida pela antiga ferrovia: vale do Pasmar, que honra o nome, para quem quiser explorar um pouco mais a região, com imensos blocos de pedra, magníficas plantas, paisagens e pinturas rupestres. Boa sugestão é seguir até Barão do Guaicuí, a 10 km donde se cruzou o asfalto, tomar um banho no riacho e pernoitar. No dia seguinte, contratar guia local para explorar o vale a 1300 m de altitude, com poço para banho, e retornar a Barão. O povoado abriga a maior estação ferroviária do percurso, em vias de se tornar centro de apoio ao turista.

Cachoeira Barão - (Fotos do Acervo – Caminhos da Serra)Continuando a descer o trilho, a 1 km abaixo do povoado vê-se, à direita, a volumosa cachoeira do Barão. Com mais uns 2 ou 3 km, pode-se passar em um pontilhão de ferro (equilibrando) ou sob o mesmo (à direita, atravessando o córrego). Entra-se aí num trecho de pedras e vegetação marcantes, misto de campo rupestre e cerrado. Passa-se sobre algumas galerias cruzando riachos, construídas com pedras entalhadas. Vale notar que tudo aqui foi feito com dinamite, mas sem caminhões ou escavadeiras. Ou seja: com carroças para transporte de terra.

A uns 6 km de Barão, há uma mangueira ao lado de uma casinha, à direita da trilha. Vale a pena um pequeno desvio em sua direção. Passando por ela, à direita do caminhante, segue-se o trilho rumo à cachoeira do Lúcio, com sua praia de areia branca e o poço generoso. Retornando ao caminho do trem, logo vemos um grupo de copaíbas (paus-d’óleo) à esquerda. À nossa direita, surgem as águas cor de chá e as praias do rio Pardinho. Havendo tempo, vale explorá-las. Continuando à frente, há um trecho de uns 100 metros, frequentemente alagado. Rompendo-o, quando menos se espera, surge à frente uma das paisagens mais monumentais da trilha: um canyon atravessado por enorme pontilhão secular, sobre as águas tempestuosas do Pardinho, 20 metros abaixo. Estamos a 8 km de Barão. Tire fotos, mas não tente atravessar por aí. Desça na trilha à esquerda, e esbalde-se na praia do rio logo abaixo.

Morro Redondo (Fotos do Acervo – Caminhos da Serra)Depois de merecidos descanso e banho, pé na estrada: serão mais uns 8 km até Mendes. Começa-se margeando o rio, e alguns minutos à frente já se vêem vellozias, sempre-vivas e xyrias, bem típicas dos campos rupestres do Espinhaço: estamos a uns 1150 m de altitude, apesar de margearmos um rio. À frente, à direita, na encosta de colinas de pedra, há uma lagoa temporária. Pouco depois a via nos mostra, numa curva à esquerda, um bonito pontilhão de ferro. Pode-se atravessá-lo andando de lado, com as mãos na guarda e os pés nas sólidas vigas. Ou então, vadear o riacho abaixo. A meia dúzia de casinhas do povoado de Mendes surge logo a seguir. Olhando-se para trás, vê-se o Morro Redondo, ponto mais alto do município de Gouveia, a 1550 sobre o mar. Numa das casinhas, uma surpresa: o simpático morador vende cerveja e refrigerante gelados. É desfeita sair dali sem um dedo de prosa, acompanhado por um cafezinho coado na hora, cortesia da casa… Mendes é um bom lugar para pernoite. Contudo, em função do isolamento, faz-se necessário ajuste prévio com os moradores, para abrigo de visitantes.

Fonte: Circuito dos Diamantes

domingo, 4 de dezembro de 2011

Se beber, não dirija

Fonte: iG, dica do Higor Santos

Embalado pela música Everybody Hurts, do REM, a comissão de acidentes de trânsito do distrito australiano de Victoria (Transport Accident Comission) faz uma retrospectiva de todas as campanhas de conscientização e prevenção realizadas nos últimos 20 anos. O filme, de cinco minutos, emociona mas lembra que apesar da diminuição de vítimas ainda há muito o que ser feito. Quando a campanha começou, haviam sido registradas 776 mortes no trânsito. No ano passado foram 303. A criação é da agência Grey de Melbourne. Assista aqui o primeiro feito pela TAC, veiculado em dezembro de 1989.

sábado, 3 de dezembro de 2011

O Rei Da Costa Do Marfim Visita Xica Da Silva Em Diamantina

Samba enredo de 1983 da Imperatriz Leopoldinense.

Clique aqui e aperte o Play para ouvir.

As festas... "da Chica que manda"
Deslumbravam a sociedade do local
Diamantina era uma flor
De amor sem preconceito ou ritual
No castelo da palha
Dava gosto de se ver
Aquela que já foi escrava
Demonstrava o valor do poder

O amor lhe deu tesouros
Que vivia pra gastar (bis)
Dos gemidos da senzala
Nem queria recordar

Esta negra caprichosa
Convidou o rei da Costa do Marfim
E o recebeu de forma suntuosa
Que a festa parecia não ter fim
A nobreza esqueceu os preconceitos
Irmanada com o povo festejou
Parecia que a liberdade sonhada
Se fez convidada e se apresentou
Só Minas Gerais, só Minas Gerais...

Poderia ser o palco desta história
Que gravei na memória (bis)
E o tempo não desfaz

Autores: Matias , Carlinhos Boemia , Nelson Lima

Garimpando no Facebook

Contribuição do Saul Moreira no Facebook.

Vale Cantar

Inscrições aqui.

Equipe Hoyt

Nascido com uma tetraplegia espasmódica, Rick Hoyt foi desenganado por vários médicos, que aconselharam seus pais, Judy e Dick Hoyt, a internar seu primogênito em uma clínica. Os pais recusaram-se a tomar essa medida. Determinados a dar ao filho todas as oportunidades oferecidas a uma criança considerada "normal", incluíam Rick em tudo o que faziam, especialmente com os outros dois irmãos, Rob e Russ.

Mas uma coisa é dentro do seu lar, o vasto mundo é outra coisa. Depois de repetidas recusas por diretores de escola que resistiam às suas tentativas de matricular o garoto, a mãe de Rick trabalhou incansavelmente para fazer passar um projeto de lei, Capítulo 766, a primeira reforma na educação especial nos EUA. Como resultado, Rick e outras crianças com deficiências físicas puderam frequentar as escolas públicas de Massachusetts. Devoção é uma história de luta, força e vitória. Vale a pena conhecer a trajetória da família que hoje é conhecida como Equipe Hoyt, pois Rick também se adaptou ao mundo esportivo e já participou de mais de 1000 corridas incluindo inúmeras maratonas e triatlos.

Clique aqui para conhecer mais.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Glauber Rocha no Cine Mercúrio

O projeto de Extensão Cine Mercúrio, coordenado pela Prof.ª Juliana Leal da Faculdade Interdisciplinar em Humanidades (FIH/UFVJM), apresenta, nos dias 07 e 14 de dezembro, o ciclo de filmes “Glauber Rocha e o Cinema Nacional” com projeções de dois longas-metragens de um dos mais importantes cineastas da história brasileira recente. Glauber de Andrade Rocha foi um dos integrantes mais importantes do Cinema Novo, movimento iniciado no começo dos anos 1960 que, baseado no princípio de “uma câmera na mão e uma ideia na cabeça”, proporcionou uma identidade nova ao cinema brasileiro.

image

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Agenda do fim de semana

Fonte: Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Patrimônio

Dia 02 a 04/12 - sexta a domingo

I Encontro de Cultura das Comunidades Afro-Descendentes de Diamantina

Local: Distrito de São João da Chapada

Programação em anexo

Maiores Informações: 3531-9532

Dia 02/12 - sexta feira

Feira de Artesanato, Comida Típica e Música ao Vivo - Sexta Nossa

Local: Mercado Velho

Horário: A partir das 18 horas

Atração: Amigos da Música

Show da Campanha do "Dia Mundial de luta contra a Aids"

Local: Praça do Mercado Velho

Horário: 20 horas

Atração: Bat – Caverna

Dia 03/12 - sábado

Feira de Artesanato, Hortifrutigranjeiro e Música ao Vivo - Feira do Mercado

Local: Mercado Velho

Horário: A partir das 08 horas

Atração: Fernando e Di

Cantata de Natal "Natal de Luz 2011"

Concerto com a Colônia Diamantina e Orquestra Sinfônica da Polícia Militar-MG

Local: Catedral Metropolitana

Horário: 20:30

Show com Luiz Marques

Local: Teatro Municipal Santa Izabel

Horário: 21 horas

Informações: 3531-7180

Dia 04/12 - domingo

Café no Beco

Local: Beco da Tecla

Horário: A partir das 08 horas

Feira da Quitanda

Local: Rua da Quitanda

Horário: A partir das 08 horas

Cantata de Natal "Natal de Luz 2011"

Concerto com a Colônia Diamantina e Orquestra Sinfônica da Polícia Militar-MG

Local: Basílica do Sagrado Coração de Jesus

Horário: 11:00

César Lacerda apresenta músicas de seu primeiro EP em show

Fonte: Divirta-se, Jonal Estado de Minas  (clique aqui)

Verena Dolabella/Divulgação Você pode ainda não ter ouvido falar de César Lacerda, mas o nome dele aparece nos créditos de pelo menos cinco discos de artistas mineiros que serão lançados de agora ao início do ano que vem. De veteranos, como Flávio Henrique, a cantoras da nova geração (Irene Bertachini, Laura Lopes e Luiza Brina), passando por Graveola e o Lixo Polifônico. Mineiro de Diamantina, esse cantor e compositor de 24 anos se divide entre o Rio de Janeiro e Belo Horizonte e está na capital mineira para lançar seu primeiro EP no show Porquê da voz, hoje à noite, no Sesc Palladium.

Sozinho ou com parceiros, é ele o autor das 13 canções que fazem parte da apresentação. Canta principalmente em português e toca violão acompanhado por guitarra (Elísio Freitas), baixo (Marcelo Conti) e bateria (Cláudio Lima). A sonoridade pode ser definida como a amálgama de elementos de rock, pop e música brasileira, com uma pitada de sofisticação. Pela qualidade das letras emúsicas e o cuidado na interpretação, César pode ser apontado como uma das boas revelações do ano.

“Há algo extremamente sedutor nesse formato. A riqueza de texturas e a densidade sonora que é possível alcançar com poucas pessoas é fantástica! Apesar de o rock ser algo comum na formação musical e afetiva de todos, o trio é formado por músicos de jazz”, conta ele, que vem de família musical. Em BH, passou pela Fundação de Educação Artística e Escola de Música da UFMG. Estudou diversos instrumentos, compôs para curtas e atuou no choro, erudito, samba e até tango.

CASUALIDADE O EP, conta, foi feito a partir da necessidade de registrar o que o quarteto estava fazendo. “O processo se deu de forma muito despretensiosa. Gravamos em setembro, ao vivo, em duas horas de estúdio. Essa casualidade vazou para o som e nos escutar depois, possibilitou desenvolver para o resto do repertório uma linha específica de arranjos. Por fim, o resultado foi tão surpreendente, que decidi lançá-lo oficialmente”, conta o artista.

No repertório de hoje, há Porquê da voz, Tudo incerto, Manauê e Herói. Entre as que escreveu com parceiros, estão Simone de Santarém (com Luiz Gabriel Lopes), Favos de solidão (com Numa Ciro), Namorin’ (com Luiza Brina e Brisa Marques), Qualquer pensamento específico (com Brisa) Don’t ox’me (com Verena Dolabella).

“BH, no sentido artístico e cultural, é uma cidade impressionante. O diálogo se configura como o espaço possível para a criação artística. Sou fruto e resultado dessa geração que sente uma necessidade voraz de produzir por meio do diálogo. Todas as minhas parcerias vieram desse desejo de troca, de conhecer o outro, ser plateia do outro”, diz César

DISCO  Acertando datas de show em São Paulo, Rio de Janeiro e Belém, César anuncia para o início do ano o começo das gravações de seu primeiro disco, baseado no repertório do show de hoje. “Foi todo pensado e escrito em torno dessa relação que tenho com a voz e com o que ela diz ao cantar. Essa tradição de canção no Brasil, da qual sou fruto e herdeiro, é maravilhosa. Esse repertório é uma maneira de reverenciar e também de me conectar ao fio condutor dessa manifestação”, observa.

Porquê da voz

Show de lançamento do EP de César Lacerda, hoje, às 19h e às 21h, no Sesc Palladium, Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro. Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).