quarta-feira, 27 de março de 2013

Procura-se um lar para a Cristal

Foto: Amigos, essa é a “Cristal”! <br />Encontramos ela no último sábado lá no cruzeiro da Serra dos Cristais aqui em Diamantina. É uma cachorrinha muito amorosa, dócil, inteligente e adora crianças. Estamos tentando encontrar um lar para ela e gostaríamos da ajuda de vocês. Ela está conosco, toda cheirosinha, vacinada e vermifugada. Ajudem-nos a encontrar um lar para a Cristal. <br />Paz e luz a todos!

Amigos, essa é a “Cristal”!

Encontramos ela no último sábado lá no cruzeiro da Serra dos Cristais aqui em Diamantina. É uma filhotinha muito amorosa, dócil, inteligente e adora crianças.

Estamos tentando encontrar um lar para ela e gostaríamos da ajuda de vocês.

Ela está conosco, toda cheirosinha, vacinada e vermifugada.

Ajudem-nos a encontrar um lar para a Cristal.

Paz e luz a todos!

Michel e Tati

Contato: michel.becheleni@gmail.com

Casa de Juscelino informa horário de funcionamento na Semana Santa

Museu Casa de Juscelino

Rua São Francisco, nº 241

Centro, Diamantina-MG

Fone: (38)3537-3607

casadejuscelino@gmail.com

casadejuscelino.wordpress.com

 

Horário de funcionamento SEMANA SANTA

Quinta-feira  28/03

De 08:00h a 17:00h

Sexta-feira da Paixão  29/03

FECHADO

Sábado  30/03

De 08:00h a 17:00h

Domingo de Páscoa  31/03

De 08:00h a 13:00h

Observação: Não fechamos para almoço

Marcelo Brant expõe no Teatro Santa Izabel

Dengue: 3º BPM Promove treinamento de combate

 

clip_image002Preocupados com o crescimento do número casos de dengue no Estado de Minas Gerais, a PMMG em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde, realizou no dia 19 de março último, o Seminário de Combate e Prevenção à Dengue, na Academia de Polícia Militar, sob o tema: “DENGUE TEM QUE ACABAR – É HORA DE TODO MUNDO AGIR”. Participaram do evento todos os médicos e chefes das Seções de Logística das Unidades da PMMG.

O Capitão PM Valdiney e o Tenente Médico Marcelo, do 3º BPM, receberam o treinamento com a missão de multiplicar junto à comunidade em geral, em especial, dentre a classe médica e policial militar, as atividades inerentes ao combate à Dengue.

A PMMG é uma tradicional entidade de apoio às ações dos órgãos de saúde no que ser refere ao Combate à dengue e pretende utilizar sua capilaridade no Estado para auxiliar os municípios na mobilização de todos contra a doença, uma vez que é o único órgão do Estado presente em todos os 853 municípios, além de vários distritos, o que poderá facilitar a difusão das informações e a mobilização comunitária.

Estudos recentes em saúde apontam os resíduos de alimentos, somados com pneus, vasos de plantas e outros, representam cerca de 70% dos criadouros em potencial de dengue. Além disso, quase 90% dos focos do mosquito são encontrados nas casas. Por isso, a necessidade de se sensibilizar a comunidade em geral.

E, considerando que a necessidade de ação e urgente, o 3ºBPM realizou, no dia 25/03/2013, por meio de seu Núcleo de Atenção Ingeral à Saúde – NAIS, uma capacitação para os médicos da região, com foco no diagnóstico e tratamento da dengue. A capacitação foi realizada pelo Tenente PM Médico Dr. Marcelo Ferreira Sousa e contou com o apoio e participação do Dr. Frederico Toledo, médico infectologista e Dra. Denise Resille da Sec. Mun. de Saúde.

Posteriormente, no dia 11/04/13, os militares 3º BPM (de todas as cidades), serão treinados para desenvolver ações de divulgação de informação acerca da dengue e de mobilização da sociedade para identificação e eliminação de focos do mosquito.

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DO 3º BPM

Entre Cascas e Couros: os sepultamentos secundários da Lapa do Caboclo (Diamantina, Minas Gerais)

Autores: A Solari, A Isnardis, V Linke

Resumo: a Lapa do Caboclo, em Diamantina (Minas Gerais), apresenta em suas ocupações do Holoceno Superior, quatro estruturas funerárias, correspondendo a sepultamentos secundários de composição sofisticada. Apresentamos os estudos bioarqueológicos, elementos do processo de escavação e características das estruturas (constituídas por estojos de cascas de árvores, com ossos recobertos de pigmentos, resina, penas e couro), construindo interpretações sobre as práticas funerárias.

Clique aqui para ler artigo completo.

Mestre Noel Sabino Junior desenvolve o Taekwondo em Diamantina

clip_image002São grandes os desafios cotidianos impostos pela modernidade e, se relacionar com grupos que potencialmente podem melhorar a qualidade de vida de seus integrantes pode ser uma saída extremamente saudável.

Assim, apresenta-se a modalidade: TAEKWONDO

Trata-se de um esporte olímpico, no qual trabalha-se com a preparação física, flexibilidade, equilíbrio, defesa pessoal, a importância ou função de cada indivíduo para a sociedade, a valorização e importância do trabalho em equipe, a disciplina, a saúde espiritual com a busca da perfeição do corpo e a mente.

Em Diamantina, os trabalhos se iniciaram em parceria com a academia Splash em 2009 e, desde então, vem obtendo resultados satisfatórios em competições, no desenvolvimento de habilidades específicas, identificado pela melhora significativa das performances das crianças e dos jovens na academia, e melhora na esfera relacional, evidente pelo fortalecimento das relações de respeito e amizade entre os integrantes.

Mas para garantir que esse trabalho com crianças, jovens e adultos, atenda as expectativas acima mencionadas, é necessário que alunos, pais ou companheiros, o governo municipal e a sociedade civil reconheça o valor do esporte na vida das pessoas, a importância de manter hábitos saudáveis e de se respeitar a diversidade. Exercitar esses valores é uma etapa importante para a construção de uma cidadania efetiva, democrática e inclusiva, que deve ser incentivado por todos, e não ter ambiente favorável apenas em um momento da vida: no tatame. Isso é um compromisso de todos e o taekwondo faz a sua parte: contribui para a formação do cidadão.

Atualmente a Equipe do mestre e professor Noel Sabino Junior, conta com mais de 100 alunos devidamente registrados na Federação de Taekwondo do Estado de Minas Gerais e Confederação Brasileira de Taekwondo.

Venha fazer parte dessa imensa família, que vem crescendo desde 1970, com a introdução do Taekwondo pelo nosso Grão Mestre Kun Mo Bang.

Mestre Noel Sabino Junior

Faixa Preta 4º Dan / Cref-MG: 012783-P

Academia SPLASH- DIAMANTINA-MG

Filiado a Confederação Brasileira de Taekwondo

Leia nesta semana na Voz de Diamantina

Autor: Joaquim Ribeiro Barbosa - “Quincas”

Capa (8)Nas minhas lembranças, o Domingo de Ramos sempre amanheceu radiante, de céu azul e de ventos já se despedindo do verão. Neste ano, porém, a Enchente de São José, que nunca falha, mas apenas antecipa ou adia seus aguaceiros, chegou mansa e com alguns dias de atraso. O que, aliás, é muito normal. Não poucas vezes já vimos suas águas descerem antes ou depois de 19 de março, dia do santo que lhe empresta o nome. Neste domingo em que o evangelho narra a chegada festiva de Cristo a Jerusalém montado em um jumentinho, Diamantina forrou algumas ruas com ramos verdes para louvar e bendizer o Senhor e exclamar paz no céu e glória nas alturas. O tempo estava fechado. A Serra do Cruzeiro, ainda meio coberta de névoa, salpicava de verde as reentrâncias de terra arenosa que, mesclada ao pedregulho e à penedia, compõem a deslumbrante moldura da cidade. Muita gente subia a Rua da Glória. A Procissão de Ramos sairia do Colégio Diamantinense. Um altar fora erguido no alto da rampa de acesso ao educandário. Folhas de palmeiras engalanavam parte da rua, a entrada e o amplo adro em que alunos, mestres e amigos da instituição, muitos trajando vestes bíblicas e portando cartazes exaltando a festividade, se posicionavam para assistir ao início da missa que seria concluída na catedral. Apesar do chuvisco que começou a cair, guarda-chuvas abertos se misturavam a estandartes, remos e outros apetrechos da ala de apóstolos caracterizados, criando uma diferente coreografia processional.

Além da afirmação de que moramos em uma cidade de muita religiosidade, diz-se também que ninguém nela vive impunemente. Ouso acrescentar que nada se passa neste velho e singular burgo que não tenha algum oculto e virtuoso sentido. Nas margens da procissão, ouvi o comentário de que os vários e mútuos pedidos de impugnação às candidaturas para as eleições de 7 de abril não tinham prosperado na Justiça Eleitoral (leia na pág. 05 desta edição). Uma notícia como essa, comentada em meio a uma cerimônia que dá início à Semana Santa, me pareceu providencial - com todo o simbolismo que este termo encarna. Realizava-se a encenação de episódios que se firmaram, atravessaram os séculos e ganharam o respeito do mundo. Providencial era, portanto, uma decisão judicial que chegava a Diamantina nos últimos dias da Quaresma. Tempo de reflexão também já muito próximo da Páscoa

Continua na Voz de Diamantina edição 607 de 30 de março de 2013

Assinatura da Voz de Diamantina

Um presente que todo mundo gosta de ganhar

Por apenas R$ 150,00 você recebe 52 exemplares semanalmente durante um ano

Quincas: 38-3531-3129 e 8824-3584 – vozdediamantina@gmail.com

Aline: 38-8811-5707

sábado, 23 de março de 2013

Jovens diamantinenses se unem para lutar pela construção de espaço para esportes radicais

Instituto Federal do Norte de Minas - IFNMG já é realidade em Diamantina

clip_image002IFNMG - Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais - CAMPUS em implantação Diamantina. Recebemos o Professor Liberato, representando o Reitor do IFNMG e na oportunidade ele protocolou documentos para a Construção da sede do CAMPUS em Diamantina. O Polo EAD já está em funcionamento no CVT Chica da Silva a praça Dr. Prado 99. Os cursos técnicos EAD terão inicio em 02 de abril e terão duração de dois anos, mas o Instituto já é realidade em Diamantina, diz o representante do IFNMG. Mais informações na Prefeitura Municipal de Diamantina – Secretaria Municipal de Educação e Secretaria Municipal de Governo.

Na foto, reunião com os Secretários Municipais Ronaldo Lopes Guimarães – Governo, Debora Ramá Pires Cardoso – Administração, Rodrigo Luiz de Canuto – Meio Ambiente, Cláudia Elizabete Baracho – Educação, Professor Liberato – IFNMG, Jussara Barbosa Fonseca – Saúde e Leana Maria Rabelo – Desenvolvimento Social.

Museu do Diamante apresenta:Exposição "Memento Homo: Objetos Litúrgicos do séc. XIX"

imagem museu diamante

A exposição “Memento Homo: Objetos Litúrgicos do séc. XIX” é constituída em grande parte de material têxtil, dentre eles: paramentos litúrgicos (vestes) e pinturas religiosas representando cenas bíblicas. O acervo é do Museu do Diamante/Ibram e o título escolhido Memento Homo se refere ao termo em latim "Memento homo, quia pulvis es, et in pulverem reverteris", que significa "Lembra-te homem que és pó e ao pó tornarás".

Período: 22 a 31 de março de 2013

Horários: terças e sábados, das 10h às 17h, domingos das 9h às 13h

Local: Museu do Diamante/Ibram, Rua Direita 14 – Centro – Diamantina/MG

Mais informações pelo telefone (38) 3531-1382.

Sons no Vale promove show em Minas Novas

Neste sábado haverá apresentação musical com o resultado das oficinas promovidas pelo Sons no Vale; no domingo a programação inclui cinema com documentário sobre a cidade.

Hoje é dia de show em Minas Novas. A partir das 20 horas, na Praça da Gruta, ocorre a apresentação musical com o resultado da Oficina de Musicalização, promovida pelo projeto Sons no Vale durante a semana na cidade.

A programação promete ser intensa, já que o projeto conseguiu reunir diversos movimentos musicais da cidade como tambozeiros, sambistas, fãs de rock e de outros estilos. É o que afirma o monitor da Oficina de Musicalização, Estevão Reis. “Nossa expectativa é sempre muito boa. Tem percussionistas, violonistas, um pessoal cantando muito bem e muitos compositores em Minas Novas. É o pessoal da cidade produzindo um show para Minas Novas”.

Além disso, os participantes das oficinas de Sonorização e Iluminação também participam da apresentação, operando equipamentos e colocando em prática o que aprenderam ao longo da semana.

E a passagem do Sons no Vale por Minas Novas não termina no show. No domingo haverá sessão de cinema, também na Praça da Gruta, a partir das 20 horas. Serão projetados o curta Caçadores de Saci, de Sofia Federico; a animação Rio, de Carlos Saldanha; além de um pequeno documentário sobre a cidade, produzido pela equipe que acompanha o projeto.

Toda a programação é gratuita.

SERVIÇO

Sons no Vale

Fevereiro a Maio de 2013

PROGRAMAÇÃO GRATUITA

Patrocínio

Vale

(Lei Federal de Incentivo à Cultura)

Apoio

Idene

Realização

Confluência – Ações para a Cidadania

Cinear Produções e Exibições

sexta-feira, 22 de março de 2013

Leia nesta semama na Voz de Diamantina

Autor: Joaquim Ribeiro Barbosa - “Quincas”

Capa (7)Não poucas vezes disse e hoje repito: Diamantina não se rege pelo calendário gregoriano. Nem pelas fases da lua. E, muito menos, pelas estações climáticas. Mas pelas festas. Cujo elevado número desnorteia o dia-a-dia das pessoas. Daí, talvez, a alegria, o rebuliço, a vivacidade de espírito que tão singularmente identificam os habitantes destes altos de montanha. Que mal conseguem esperar a chegada de suas festividades. Por falta de paciência para aguardá-las, ou pela ânsia de encurtar sua proximidade. Pude notar essa gostosa agonia local numa noite dessas. Em um ambiente tão boêmio que até inspirou Fernando Brant e Mílton Nascimento em uma bela música em que, entre outras sutis e mundanas percepções, eles afirmam: Diamantina é o Beco do Mota.

Pois bem... Era ali que nos encontrávamos... Na antiga zona boêmia deste velho e libidinoso burgo... Hoje, sacrário de recatados e aconchegantes bares, botecos e restaurantes. Entre eles, o Vagalume. Do sempre aceso e esvoaçante Alvimar. Papeávamos sem compromisso, a mordiscar saborosos tira-gostos acompanhados de louras frigidíssimas. Tínhamos ido a pé, em respeito à Lei Seca e aos temíveis bafômetros que já estão medindo os teores etílicos usuais nesta sedenta e botequeira comunidade.

Em meio à conversa fiada que fluía solta, começaram, entretanto, a intercalar-se sons de variados instrumentos. A maioria, de sopro. A impressão era de que eles estavam sendo afinados. Não demorou, porém, para que bonitas e tradicionais músicas sacras se misturassem aos nossos assuntos. Com eles convivendo harmoniosamente e já exalando no ambiente o introspetivo clima da maior e mais importante festa religiosa da cristandade. Assim é que, enquanto conversávamos, antigos e melodiosos dobrados faziam-nos reviver o comovente encontro das imagens do Senhor dos Passos com Nossa Senhora das Dores. Cena impressionante que sucede o Domingo de Ramos e dá sequência à lancinante trajetória de Jesus rumo ao Calvário.

Continua na Voz de Diamantina edição 606 de 23 de março de 2013

Assinatura da Voz de Diamantina

Um presente que todo mundo gosta de ganhar

Por apenas R$ 150,00 você recebe 52 exemplares semanalmente durante um ano

Quincas: 38-3531-3129 e 8824-3584 – vozdediamantina@gmail.com

Aline: 38-8811-5707

quarta-feira, 20 de março de 2013

Garimpando em Diamantina: parpadelle de manjericão do Restaurante Deguste

O Restauruante Deguste estreiou hoje algumas novidade em seu cardápio. Vale a pena conferir. Em destaque uma excelente massa artesanal: parpadelle de manjericão com ragu de costelinha de porco. Para beber a dica é a refrescante lomonada de cerreja.

jogo americano_deguste_vermelho

terça-feira, 19 de março de 2013

Prefeitura de Diamantina e IFNMG oferecem cursos

Fonte: Prefeitura de Diamantina

A Prefeitura Municipal de Diamantina e o Instituto Federal do Norte de Minas Gerais firmam parceria para ofertarem 40 vagas para os Cursos técnicos de Transações Imobiliárias, 40 vagas para Agente Comunitário de Saúde e 40 vagas Hospedagem com inscrições marcadas para os dias 21 e 22 de março, das 08h00min às 16h00min no Centro Administrativo de Diamantina, na Secretaria Municipal de Educação, localizada na Rua da Glória, n° 394, em Diamantina.

Os Cursos ofertados destinam-se aos alunos que cursam ou concluíram o ensino médio.

O início das aulas do Curso de Transações Imobiliárias será no dia 02 de abril de 2013, das 19h00min às 22h40min, toda terça-feira.

O início das aulas do Curso de Agente Comunitário de Saúde será no dia 04 de abril de 2013, das 19h00min às 22h40min, toda quinta-feira.

O inicio das aulas de Hospedagem, será no dia 05 de abril de 2013 as 19h00min às 22h40min ofertado toda sexta-feira.

Não perca tempo e faça logo sua inscrição! O IFNMG já é realidade em Diamantina. Aproveite!

Concurso para conselheiro tutelar

Fonte: Prefeitura Municipal de Diamantina

Estão abertas as inscrições para conselheiro tutelar no município de Diamantina. Se você tem mais de 21 anos, todos os documentos em dia, não tem antecedentes criminais e mora na cidade  poderá se inscrever  no período de 04 a 23 de março  de 2013 na rua da Glória 394- Centro administrativo da  PREFEITURA MUNICIPAL em DIAMANTINA.

O concurso tem validade de 4 anos e carga horária de 40 horas semanais. Mais informações no edital publicado no www.diamantina.mg.gov.br

Curso Agente de Informações Turísticas com Inglês e Espanhol Aplicado aos Serviços Turísticos

A Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais, Secretaria de Estado Extraordinária da Copa do Mundo juntamente com o SENAC Minas informam que foi prorrogado o prazo para as inscrições do processo seletivo do Curso de Agente de Informações Turísticas com Inglês e Espanhol Aplicado aos Serviços Turísticos em Diamantina.

Abaixo as informações:

· Curso Agente de Informações Turísticas com Inglês e Espanhol Aplicado aos Serviços Turísticos

Especificação:

Carga horária: 200 horas Agente de Informações Turísticas e  60 horas cada idioma

Número de alunos: 25

Previsão de início das aulas: 08/04/13

Os interessados deverão se enquadrar nas exigências e critérios estabelecidos, conforme anexo.

Para participar do processo seletivo, basta enviar o currículo, ficha de inscrição e o Termo de Compromisso (assinado e escaneado) para o e-mail: capacitacaocopa@gmail.com até o dia 22/03/13.

O resultado será divulgado novamente no site da SETUR-MG (www.turismo.mg.gov.br) no dia 27/03/13.

segunda-feira, 18 de março de 2013

Chica da Silva em trote racista na UFMG causa polêmica nas redes sociais

Duas imagens de um trote de estudantes de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) causam polêmica na internet. Compartilhada no Facebook, uma das fotos mostra um “veterano” segurando uma estudante acorrentada, com a pele pintada e com um cartaz escrito “caloura Chica da Silva”. Em outra foto, estudantes amarram um calouro e fazem saudações nazistas.

Clique aqui para ler reportagem completa.

image

domingo, 17 de março de 2013

Moradores reclamam de lixo e entulhos na antiga linha férrea

Livro de fotografias traz a visão de 9 bens culturais brasileiros registrados pela UNESCO

Fonte: Megaphone – Clique aqui para ler reportagem completa.

imageUm grande passeio através de 180 páginas de fotos e textos que percorrem nove bens brasileiros registrados como Patrimônio da Humanidade, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Assim é o livro Patrimônio Material – Centros Históricos, Conjunto Arquitetônico, Santuário e Ruínas, com fotos de César Duarte e textos de Guilherme Aragão, que será lançado nas cidade do Rio de Janeiro, dia 13 de março, e em Belo Horizonte, no dia 16.

Os dois autores percorreram o Brasil de Sul ao Norte, num percurso de mais de 4 mil quilômetros, partindo das ruínas de São Miguel (RS) a São Luís (MA), para realizar o trabalho. Levaram nove meses viajando. O resultado é um livro de fotografias repleto de memórias da história do país que está exposta nas imagens das cidades de Ouro Preto (MG), Olinda (PE), Ruínas de São Miguel (RS), Salvador (BA), Santuário de Bom Jesus de Matosinho, na cidade Congonhas (MG ), Brasília (DF), São Luís (MA), Diamantina (MG) e Goiás Velho (GO). O trabalho recebeu o apoio do Ministério da Cultura (MinC), por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Rouanet).

A viagem por todos estes locais trouxe ao autor, Guilherme Aragão, a compreensão da importância do tombamento, tanto para criar salvaguardas a estes bens, como para a melhora da autoestima da população. “O tombamento traz impactos importantes, aumenta a autoestima dos moradores, que reconhecem viver em um “lugar especial”. Vi muito isso em Diamantina, Olinda e Goiás Velho, onde as pessoas têm orgulho de morar ali”, comentou.

Entre os bens pesquisados e registrados, Guilherme Aragão avalia a cidade de Diamantina, no Vale do Jequitinhonha, como uma das mais interessantes. “É um lugar encantador. Deveria figurar no roteiro de todas as visitas a Minas Gerais. A gente anda ali e sente que a cidade é daquele jeito mesmo. É uma expressão muito viva e sincera do jeito mineiro de ser. Tem comida, serenata, estudantes, cachoeiras e beatas, tudo misturado”.

quinta-feira, 14 de março de 2013

Leia neste fim de semana na Voz de Diamantina

Autor: Joaquim Ribeiro Barbosa - “Quincas”

Capa (6)Corriam os últimos anos do século passado. A Campanha Diamantina Patrimônio Cultural da Humanidade ganhava forças. Começávamos a acreditar que a arraigada, única e já quase exaurida atividade garimpeira daria lugar ao turismo, à prestação de serviços e à transformação do antigo Tijuco em centro universitário irradiador de cultura, conhecimento e desenvolvimento. Mas um ingrediente essencial teria de ser inoculado na alma diamantinense: a elevação de sua autoestima. Que subiu como um foguete por estes céus poeticamente estrelados com a criação da vesperata. Quem de nós não vibrou, chorou e exultou ao escutar a arte musical represada dos meninos da Banda Mirim e dos instrumentistas da Banda do 3° BPM? A partir daquele evento sem igual, as sacadas da Quitanda passaram a reboar uma musicalidade tão antiga e virtuosa quanto desconhecida pelo próprio diamantinense. Seus acordes ora épicos, ora populares, ora românticos galgaram nossos horizontes e se espraiaram pelo estado, pelo país, pelo mundo.

Estas lembranças se misturavam às belas músicas do Concerto Tijucano realizado na noite de sexta-feira, 8 de março, na charmosa e cênica Praça do Bonfim. Composições de Tom Jobim, Pixinguinha, Roberto Carlos, Fernando Brant e outros ases da MPB se mesclavam a partituras clássicas executadas em comemoração aos 175 anos do município de Diamantina. No Dia Internacional da Mulher, sua feminilidade era também celebrada. Mesmo inebriado pela espontaneidade com que a música toma ares de oferenda neste velho burgo, notei que - somente em parte - os gloriosos tempos da campanha iniciada pela Unesco eram revividos pela cidade. Quando toda a sua gente se embasbacava com a simples descoberta de que a musicalidade lhe era tão inerente quanto a leveza de sua arquitetura, o entrecruzar de seus becos, a singularidade pétrea dos seus arredores e seu jeito inconfundível de receber e tratar visitantes. Apesar do virtuosismo dos músicos das três bandas, da concentração dos maestros e da reverência do público, algo destoou naquela, assim como em outras apresentações musicais diamantinenses. Nem mesmo o foguetório que espocou na escuridão da noite, em meio ao grand finale da belíssima peça Consagração, conseguiu clarear a praça e fazer do gostoso cheiro de pólvora o incenso de uma celebração popular.

Continua na Voz de Diamantina edição 605 de 16 de março de 2013

Assinatura da Voz de Diamantina

Um presente que todo mundo gosta de ganhar

Por apenas R$ 150,00 você recebe 52 exemplares semanalmente durante um ano

Quincas: 38-3531-3129 e 8824-3584 – vozdediamantina@gmail.com

Aline: 38-8811-5707

Operário morre dentro de cisterna de 30 metros de profundidade em Itamarandiba

Bombeiro descendo para o resgate na cisterna (Divulgação Corpo de Bombeiros )

Fonte: Estado de Minas 14/03/2013 – (clique aqui)

Um operário morreu dentro de uma cisterna de 30 metros em Diamantina Itamarandiba, no Vale do Jequitinhonha. Os bombeiros precisaram resgatar o corpo de Dirceu Alves Cordeiro, de 38 anos, que desceu para uma escavação e não voltou. Segundo militares, na tarde de terça-feira, Dirceu estava trabalhando na cisterna e se disse incomodado com a presença de muitas formigas. Ele decidiu queimar pedaços de tecido para matar o insetos. Deixou o fogo no buraco e foi embora no fim do expediente.

Ao retornar na quarta-feira pela manhã, entrou na cisterna para continuar as escavações, mas com poucos minutos não respondeu ao chamados dos colegas de trabalho que estavam do lado de fora. Preocupadas, as testemunhas chamaram os bombeiros, que iniciaram o resgate.

Sem saber o que encontraria no buraco, o militar responsável pelo salvamento desceu usando uma máscara - em cumprimento a um procedimento padrão da corporação nesses casos.

Segundo os bombeiros, em cisternas de grande profundidade são encontrados muito gases tóxicos e poderia haver também vestígios de fogo ou fumaça da queimada provocada pelo próprio operário. Por causa desses gases, os bombeiros orientaram aos outros trabalhadores a não tentar descer para buscar Dirceu. Eles seguiram a orientação e aguardaram os militares, no entanto, o operário já estava morto.

O corpo de Dirceu foi retirado pelo bombeiro, mas somente a perícia apontará a causa da morte. A suspeita é que ele tenha sido intoxicado por gás.

quarta-feira, 13 de março de 2013

Prefeitura de Diamantina promove campanha de saúde nas escolas

Fonte: ASCOM Prefeitura de Diamantina

A Secretaria de Educação Municipal convida todos os alunos e seus familiares para participar da semana saúde na escola. Várias ações serão desenvolvidas durante todo o ano: pesagem  e medida das crianças, teste do olhinho, prevenção da obesidade, combate ao crack e atividades físicas em parceria com a  Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri.

Fique atento para a programação:

  • Dia 13/03 palestra anti-drogas com os pais na Escola Municipal Casa da Criança Maria Antônia ás 5 da tarde e às 7 da noite  na Escola Municipal do Guinda
  • Dia 14/03  Palestra com os alunos e pais às sete e meia da manhã e três da tarde  na Escola Municipal da Cidade Nova. Às 5 e meia da tarde palestra na escola Mucipal Natalia de Jesus Silva às 10 da manhã palestra na Escola Municipal do Guinda.
  • Dia 15 de março cinema na escola Municipal de Extração às 08 da manhã.
  • E no sábado, manhã de lazer na Escola  MUNICIPAL NATÁLIA DE JESUS, gruta, em parceria com os alunos de educação física da  UFVJM.

Participe desta campanha e nos ajude a melhorar a saúde de nossas crianças.

Secretaria de Educação e Prefeitura Municipal de Diamantina.

Quintal Radical promove campeonato de mountain bike

Alma caipira no Santa Izabel

segunda-feira, 11 de março de 2013

Três chapas inscritas para nova eleição em Diamantina

Em Diamantina, o prefeito eleito Paulo Célio (PSDB), impedido de assumir a administração em janeiro, disputa novamente o governo do município. O seu vice será Cássio Moreira. O vereador Marcos Tibães (PT) lançou chapa tendo como candidato a vice-prefeito Marcilio Almeida. Já Ragosino Araújo (PSC) disputará as eleições junto com o seu vice Ronaldo Ferreira Radialista.

Consulte os perfis dos candidatos no site do TSE clicando aqui

Fonte: Diário do Jequi, via Blog do Banu

Na figura abaixo, destacadas em vermelho, podemos conferir as chapas inscritas no site do TSE.

image

Assis Horta– O guardião da memória

Ele conta que fotografou o Brasil do Oiapoque ao Chuí. Registrou infinitos rostos em 3x4, paisagens urbanas, monumentos e momentos que marcaram o país. “Fotografei a inauguração do Cristo Redentor, em 1931. Foi a primeira vez que fui ao Rio de Janeiro”, recorda Assis Horta, 94. Nascido em Diamantina, ele trabalhou por mais de três décadas como fotógrafo para os institutos de Patrimônio Histórico estadual e federal. Manteve o estúdio Photo Assis e, com o ofício, criou 10 filhos. Rico acervo,   que inclui imagens e equipamentos fotográficos, é guardado na casa onde vive com a mulher, Maria da Conceição Horta, 94. Neste ano, a Nitro Imagens homenageou Assis no Paraty em Foco, festival de fotografia da cidade histórica fluminense, com exibição de parte do filme Assis Horta – O guardião da memória.

Clique aqui para ver o vídeo no Vimeo.

Fontes: Revista Viver Brasil e Isnard Horta

quinta-feira, 7 de março de 2013

Leia nesta semana na Voz de Diamantina

Autor: Joaquim Ribeiro Barbosa - “Quincas”

Capa (5)Quando os tempos atuais e desconcertantes por que passa este velho e ainda não amadurecido burgo fizerem parte do passado e forem lembrados pela posteridade com alguma irreverência, incompreensão e incredulidade, é muito possível que Diamantina esteja colhendo os benefícios de uma situação política que, ao contrário de jogá-la nos precipícios da insensatez, reergueram-na ao ápice de sua importância e devolveram-lhe o glorioso e novamente merecido título de Atenas do Norte. Para nós, entretanto, que vivemos a turbulência da impugnação da chapa vitoriosa de prefeito e de vice em 2012, os embates pelo poder que então se travaram, as divisões intestinas que tanto abalaram partidos e alianças, chega a ser inacreditável que caminhos tão ínvios, desinteligentes e tortuosos pudessem desembocar em novas e alentadoras perspectivas para a cidade e para a região.

A marcha dos eventos não poderia ser mais caprichosa ao definir os destinos políticos, administrativos e desenvolvimentistas de Diamantina exatamente no dia 6 de março, quando esta terra de tanta história, cultura e tradição completa 175 anos de municipalidade. Data que se tornará extremamente marcante não pelo brilhantismo com que as autoridades comemoraram mais um aniversário de emancipação, mas por ter sido o dia limite para o encerramento das convenções partidárias para homologar o nome dos candidatos a prefeito e a vice na eleição extemporânea marcada para o dia 7 de abril. O resultado das convenções ainda não é plenamente conhecido, uma vez que nem todos os partidos quiseram anunciá-lo, por terem no dia 8 de março o derradeiro prazo para o registro das atas com os nomes escolhidos.

A única notícia concreta até a noite de quarta-feira, 06/03, e a manhã de quinta, 07/08, tempo limite para o fechamento deste jornal, é que o PSDB homologou os nomes de Paulo Célio e de Cássio Moreira para compor a chapa de prefeito e vice no pleito de 7 de abril, aos quais se alinhou o PMDB, sepultando as fuleiras pretensões do pseudoreverendo. Comenta-se que Ragosino Araújo, postulante já de muito autoproclamado, está ainda na dúvida se mantém João de Nico como vice ou escolhe outro nome. Alastram-se também rumores de que um partido da ainda dita esquerda morre de esperança na impugnação do nome de Paulo Célio, e pretende lançar algum candidato que, mesmo com votação inexpressiva, ocuparia o cargo por ser o segundo mais votado. Como as artimanhas da política não têm limites e nem a sede do poder é saciável, existe o risco de que se imponha a Diamantina situação tão risível quanto patética e errática.

Continua na Voz de Diamantina edição 604 de 02 de março de 2013

Assinatura da Voz de Diamantina

Um presente que todo mundo gosta de ganhar

Por apenas R$ 150,00 você recebe 52 exemplares semanalmente durante um ano

Quincas: 38-3531-3129 e 8824-3584 – vozdediamantina@gmail.com

Aline: 38-8811-5707

Conheça as atividades oferecidas pelo Museu do Diamante

O Museu Do Diamante oferece as seguintes atividades:
- Todas as terças: Oficina de Dança Contemporânea (Prof. Calebe) no horário das 13h às 15h.
- Todas as terças: Oficina de Capoeira (Prof. Joel) no horário das 19h às 20h:30.
- Todas as quartas: Oficina de Dança Contemporânea (Prof. Calebe) no horário das 13h às 15h.
- Todos as quintas: Oficina de Capoeira (Prof. Joel) no horário das 19h às 20h:30.
- Todos os sábados: Oficina de Capoeira (Prof. Joel) no horário das 10h às 11h:30.
As atividades são totalmente GRATUITAS.

Diamantina na Rádio Câmara

quarta-feira, 6 de março de 2013

Unidade da Fundação Hemominas em Diamantina comemora 10 anos

Diamantina, 06 de Março de 2013 – A unidade da Fundação Hemominas em Diamantina, inaugurada em 10 de março de 2003, comemora 10 anos de trabalhos dedicados a salvar vidas.

Os milhares de doadores, que nestes 10 anos passaram pela unidade e realizaram o gesto insubstituível da doação voluntária, são responsáveis tanto pelo sucesso do Hemominas, quanto pela evolução da saúde na região de Diamantina.

Segundo o Gerente Técnico da unidade, Dr. Eduardo Orlando, a criação e agora ampliação do CTI, a realização de serviços de alta complexidade em ortopedia e neurocirurgia, maternidade de alto risco, a implantação da rede de urgência e emergência, a UTI neonatal, só foram possíveis graças ao fornecimento de hemoderivados às unidades de saúde da região. Ainda segundo Dr. Eduardo, a unidade da Fundação Hemominas em Diamantina influenciou positivamente em outras grandes conquistas, como o curso de Medicina da UFVJM e a residência médica.

10 Anos Compartilhando Vida

Para os funcionários, comemorar 10 anos é motivo de muito orgulho. Por isso, prepararam uma programação especial na semana do aniversário, além de promover uma campanha junto às instituições e empresas, intitulada “Doador 10”.

No dia 10 de março (segunda-feira), às 09:00 horas, em frente a unidade, funcionários, doadores e toda a comunidade estão convidados a cantar os parabéns acompanhados pela Banda do 3º Batalhão da PMMG.

Durante a semana irá vigorar campanha “Doador 10”. Nessa campanha, instituições e empresas serão convidadas a incentivar a doação voluntária de 10 funcionários.

Membros da comunidade que também desejarem realizar a doação deverão procurar o setor de captação da Hemominas de Diamantina.

Horário de funcionamento para doação de sangue, cadastro de candidatos à doação de medula óssea e ambulatório:

Segunda-feira, das 08:00 às 12:00

De terça a sexta-feira, das 07:00 às 12:00

Rua da Glória, 469 - Centro – Diamantina

Tel.: (38) 3532-1350 - Fax.: (38) 3532-1360

Parabéns, Diamantina

image

Residência Médica em Diamantina: Fato Histórico

DSC_0061 (1)Na última sexta-feira, 01 de março de 2013, aconteceu no antigo Prédio do Hospício (em restauração) uma cerimônia de acolhimento e apresentação dos novos Médicos Residentes da Santa Casa de Caridade de Diamantina.

Relembrando o relato do escritor Ricardo Samuel Renzo “O antigo sonho do ex-presidente e filho ilustre de Diamantina, Juscelino Kubitschek de Oliveira de ter a residência médica em nossa cidade foi conseguido sobre a gestão de seu homônimo Juscelino Brasiliano Roque, atual Provedor da Santa Casa de Caridade de Diamantina.

Foi uma grata surpresa saber que dentre os quatro médicos residentes, encontra-se o cidadão diamantinense Emílio Henrique Barroso Maciel, para fazer parte dos Médicos Clínicos da Santa Casa de Caridade de Diamantina. Em discurso, o mesmo falou sobre o seu contentamento em retornar à sua cidade natal, o desejo de aqui permanecer e principalmente de contribuir para o crescimento e prosperidade desta Casa de Saúde.

DSC_0093 (1)Vale dizer que a chegada nesta instituição dos residentes do curso de medicina veio mais uma vez demonstrar que as conquistas da Santa Casa de Caridade de Diamantina beneficiam tanto o município quanto o Vale do Jequitinhonha. Merece destaque também o convênio firmado com a Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri – UFVJM – que veio contribuir para as referidas conquistas. Pois, atualmente a Santa Casa possui parceria com o Departamento de Ensino, Pesquisa e Extensão – DEPE, que vem organizando os processos firmados entre a Santa Casa e a Universidade.

Foram ressaltados durante o evento, os diversos avanços da instituição, além da residência médica. Como exemplo abordou-se a ampliação do CTI para 20 leitos, além de uma equipe composta por cinco neurocirurgiões, expansão dos serviços da hemodiálise dentre outros.

Por fim, o Provedor Juscelino Brasiliano Roque ressaltou que a realização de feitos, tal como os citados acima só são possíveis graças a todos os colaboradores desta instituição.

Fotos: Luca Antunes

terça-feira, 5 de março de 2013

"Histórias reveladas" darão o compasso do fHist em 2013

"Histórias reveladas" formam o eixo temático das mesas redondas, oficinas, sessões de cinema e espetáculos da segunda edição do Festival de História, o fHist, que acontecerá em Diamantina, de 19 a 22 de setembro. Com este eixo, o festival pretende trazer à tona importantes fatos históricos do país revelados recentemente, por meio de pesquisas e acesso a documentos antes sigilosos, bem como de outras ações, como a criação da Comissão Nacional da Verdade, que investiga a violação de direitos humanos no Brasil, entre 1945 e 1988. Na Tenda da História, na Praça Doutor Prado, o ofício de reportar a memória e a verdade perpassará os sub-temas do fHist que serão debatidos em 14 mesas redondas por historiadores, autores e jornalistas convidados. Em pauta, um novo olhar sobre temas fundamentais para compreender e passar a limpo a História do país, como o Legado dos Jesuítas; as Rebeliões Coloniais; a Inconfidência Mineira; a Independência do Brasil; a Literatura, História e Educação; a Antropologia Forense; a Ditadura Militar, a Censura e o Futebol; Biografias Reveladas; e a Operação Condor e a Guerra Fria, entre outros. Em todas as outras ambiências do fHist, como no Mercado Velho e no Teatro Santa Izabel, as “Histórias reveladas” marcarão o compasso do Festival.

Um festival construído por todos os parceiros

Outra novidade da segunda edição do fHist é o envolvimento das instituições parceiras na construção da programação. Participam ativamente deste trabalho a Fundação SM, referência em educação na Espanha e com grande atuação na América Latina, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), a Fundação Biblioteca Nacional (BN), o Projeto República da UFMG, a Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) e a Prefeitura de Diamantina. Em breve, a programação das atividades do fHist, como mesas redondas, filmes e convidados, começarão a ser disponibilizada no nosso site oficial www.festivaldehistoria.com.br

Como participar

As inscrições para o Festival de História em Diamantina serão abertas no dia três de junho de 2013, com vagas limitadas à capacidade de lugares da Tenda da História na praça Doutor Prado. Cadastre-se aqui para receber informações e notícias exclusivas sobre o fHist.

segunda-feira, 4 de março de 2013

Concerto Tijucano

 

clip_image002

A tradição das bandas de música no Brasil vem desde os primeiros momentos de sua colonização, por isso, existe uma considerável história sobre o assunto.

Os jesuítas usavam conjuntos musicais nas festas religiosas, como nas do cristianismo lusitano, para auxiliarem na educação dos pagãos. Tais conjuntos não eram formados apenas por portugueses; os próprios índios desde o inicio já se encontravam entre os participantes.

Em Diamantina, essa tradição tem início na segunda metade do século XVIII, com a participação dos negros e mulatos que fazia da música a sua melhor diversão.

As bandas de música Corinho e Corão, criadas no século XIX em Diamantina, sob as batutas dos maestros Antonio Efigênio de Souza – O Paraguay - e João Batista de Macedo - O Pururuca -, exerceram papel fundamental para a preservação da musicalidade tijuquense, ao absorverem inúmeros músicos, principalmente porque assumiram a responsabilidade de funcionar como uma escola para capacitação do músico aprendiz.

Hoje esse papel é exercido pelas Bandas do Terceiro Batalhão da Policia Militar de Minas Gerais, Banda Euterpe Diamantinense e Banda Municipal Prefeito Antônio de Carvalho Cruz, celeiros musicais de grande importância social para a formação de crianças, jovens e adolescentes para a arte musical.

No final do século XX, as retretas, práticas comuns às Bandas naquele tempo, foram sendo substituídas pelos Concertos nas Igrejas e pela Vesperata.

O CONCERTO TIJUCANO, além de resgatar a tradição das retretas, contribui para a manutenção da musicalidade diamantinense, tradição passada de geração em geração desde o século XVIII.

PROGRAMA

Hino Nacional Brasileiro. Francisco Manuel da Silva

Joaquim Ozório Duque Estrada

Coretos de Diamantina. Arr. Edison Soares de Oliveira

Estão voltando as flores/carinhoso. Paulo Soledade e Pixinguinha.

Esperança. Laura Pausini

Esse Cara sou eu. Roberto Carlos.

Sequencia Bossa Nova. Tom Jobim, Vinícius de Moraes e Marcos Vale.,

My way. Francois Thibaut, Ravau e Paul Anka.

Paisagem da Janela. Fernando Brant e Lô Borges

Os Amantes. Luiz Ayrão

Hey. Julio Iglesias

Ondas do Danúbio. Ivan Ivanovici

Seleção Tim Maia. Tim Maia

Consagração. Edison Soares de Oliveira

Regência:

Maestros:

Edison Soares de Oliveira,

Eleônio Ribeiro da Cruz

Emerson José Pinto

sábado, 2 de março de 2013

Conheça um paraíso chamado Biribiri, a Shangri-lá das Minas Gerais

Publicado no Estado de Minas 02/03/2013 (clique aqui)

Hoje, três adultos, uma criança e o vira-lata Mequetrefe moram no  pacato lugarejo, a 300 quilômetros de Belo Horizonte e a 14 do Centro Histórico de Diamantina (Paulo Henrique Lobato/EM/D.A Press)Diamantina – Há quem chegue à bucólica Vila de Biribiri e a compare a Shangri-lá – o idílico lugar criado em algum ponto do Himalaia pelo inglês James Hilton (1900–1954) em sua obra mais famosa, Horizonte perdido. Construído em 1877 para abrigar uma fábrica de fiação e tecidos do Biribiri e, ao mesmo tempo, empregar mulheres pobres do Vale do Jequitinhonha, o povoado chegou a ter 1,2 mil habitantes, na década de 1950. Hoje, três adultos, uma criança e um vira-lata, o Mequetrefe, moram no pacato lugarejo, a 300 quilômetros de Belo Horizonte e a 14 do Centro Histórico de Diamantina.

O nome da vila, em tupi-guarani, significa buraco fundo, numa alusão à sua localização, entre o sopé de uma montanha e o leito de um curso d’água. Biribiri foi idealizada pelo então bispo de Diamantina, João Antônio Felício dos Santos, e seus familiares. O projeto foi viabilizado pelo terreno acidentado, que permitiu aos empreendedores usarem a energia produzida por uma pequena usina cujas turbinas eram acionadas pela força das quedas-d’água da região. Nos bons tempos da produção fabril, Biribiri chegou a ter escola para os filhos dos empregados, pensionatos, armazém e consultório odontológico.

Veja mais imagens de Biribiri

Havia até apresentações de coral e grupo teatral. Aliás, a própria Biribiri foi levada para a tevê e o cinema como cenário dos filmes Dança dos bonecos, de Helvécio Raton; Xica da Silva, de Cacá Diegues; e A hora e a vez de Augusto Matraga, de Vinícius Coimbra. Na telinha, despertou a atenção dos roteiristas da novela Irmãos coragem e do seriado Rosa dos rumos. A vila chegou a ser colocada à venda na década de 1970. A família Mascarenhas, proprietária do lugarejo, pediu lance mínimo de US$ 2 milhões. A notícia ganhou destaque na imprensa nacional (revista Manchete) e internacional, mas não houve interessados em desembolsar a fortuna. "Não está mais à venda", assegura Kika Mascarenhas, de 45 anos, uma das herdeiras do local.

A literatura também se rendeu aos encantos da vila. Em maio de 1893, a adolescente Alice Caldeira Brant escreveu em seu diário que “não teria pressa de ir para o céu se morasse em Biribiri”. Quase 50 anos depois, as lembranças da jovem foram publicadas no best-seller Minha vida de menina, que Alice publicou sob o pseudônimo de Helena Morley. A importância de Biribiri foi reconhecida pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha) ao tombar, em 1998, o conjunto arquitetônico.

A proteção, claro, inclui a única igreja de lá, a do Sagrado Coração de Jesus. O templo, cercado por palmeiras-imperiais, foi erguido na entrada do lugarejo, também em 1876, com recursos conseguidos pelos próprios moradores. Nas horas vagas, eles garimpavam pedras preciosas na região. Desde o fim do ano passado, a Sagrado Coração de Jesus passa por reforma. A igreja, quando restaurada, voltará a ser aberta à visitação. A fama de Biribiri foi tamanha que a família real doou um relógio para ser fixado abaixo da pequena torre da igreja. Quase em frente à entrada principal dela, há o único túmulo do povoado, o do senador Joaquim Felício dos Santos (1822–1895). O político foi um dos autores do Código Civil que vigorou até 2003.

Conservação
Mequetrefe, o cachorro, costuma descansar no gramado em frente à igreja, cujas cores acompanham as das demais edificações – todas com paredes externas brancas e portas e janelas azuis. Ao contrário do templo, os imóveis que serviram como moradias dos funcionários estão em bom estado de conservação. As casas, de diferentes tamanhos, estão à disposição de quem deseja alugá-las para uma temporada. A diária é de R$ 30 por pessoa. Muitos turistas, porém, preferem passar o dia na vila, como fez Ranah Mannezenco, moradora de Viçosa, e seus amigos. “Aqui é mesmo como Shangri-lá. Só descobrimos tudo chegando, como mineiro, de mansinho, observando”, disse ela.

Ranah e seus amigos almoçaram no único restaurante de Biribiri, batizado de Raimundo sem Braço. O proprietário, seu Raimundo, precisou amputar o braço direito, depois de uma infecção causada por um tratamento malfeito. “Trabalhar em Biribiri é um privilégio. Veja a natureza, ouça o canto dos pássaros…”, diz o comerciante enquanto serve a um turista uma dose das cerca de 200 garrafas de aguardente que vende no seu estabelecimento. Raimundo mora em Diamantina. Já Adilson Costa, de 35 anos, é um dos quatro residentes na vila. “Descobri que aqui é o meu lugar”, diz o rapaz, enquanto faz a limpeza de um dos galpões onde funcionou a antiga fábrica. Ele divide uma casa com a mulher, Simone, e a filha, Maria Luiza, de 4. O quarto morador de Biribiri é o também zelador Geraldo da Conceição Reis, de 44: “Sabe o que é morar num lugar pacato? É aqui”.


LINHA DO TEMPO
1870: O bispo dom João Antônio Felício dos Santos resolve fundar fábrica de tecidos para empregar as moças pobres do Vale do Jequitinhonha
1877: A fábrica é concluída, com o maquinário de Massachusetts (EUA). Do Rio de Janeiro até lá, foi transportado no lombo de mulas e carros de bois
1893: A jovem Alice Brant trata de Biribiri em seu diário, futuro best-seller Minha vida de menina
1921: A fábrica e a vila são vendidas a particulares
1950: Cerca de 1,2 mil pessoas trabalham em Biribiri
1973: A fábrica de tecidos é desativada
1998: Conjunto é tombado pelo Instituto Estadual do patrimônio Histórico e Artístico (Iepha)
2012: Começa a reforma da Igreja Sagrado Coração de Jesus

SAIBA MAIS: BELEZA CÊNICA
O Parque Estadual do Biribiri, com área de 16,9 mil hectares, está inserido no complexo da Serra do Espinhaço. A Vila de Biribiri está abrigada na área do parque. Quem a visita se encanta não somente por seu casario, mas principalmente pelas paisagens de beleza cênica, com seus rios de leitos de pedras, formando cachoeiras e atravessando campos. A área abriga várias nascentes e cursos d'água: o Rio Biribiri, que moveu as turbinas da hidrelétrica geradora da força motriz da fábrica de tecidos; o Rio Pinheiros e diversos córregos, sendo os mais famosos o Sentinela e o Cristais. Os descendentes dos proprietários da fábrica contam histórias sobre os suntuosos degraus da Cachoeira dos Cristais, cujas rochas teriam sido cortadas com talhadeiras pelos proprietários da época, à procura de diamantes. A cobertura vegetal nativa é composta por cerrado, campos rupestres e matas de galeria. Podem ser encontrados diversas espécies da fauna, muitas delas ameaçadas de extinção, como o lobo-guará e a onça-parda ou suçuarana.

Como chegar
A vila, embora privada, fica dentro do Parque Estadual do Biribiri. Criado em 1998, no mesmo ano em que o pacato lugarejo foi tombado pelo Iepha, ele conta com cerca de 18 mil hectares. Além da vila, outra atração do parque é o conjunto de cachoeiras, como a Sentinela, com cascatas e praia. A rica flora e a exuberante fauna também encantam turistas. O acesso de Diamantina a Biribiri, passando pelas cachoeiras e áreas para acampamentos, é feito em estrada de terra. O caminho permite fazer um percurso, de carro, em cerca de 30 minutos. Porém, em época de chuva, é melhor o viajante se informar com os seguranças que ficam na guarita do parque, pois dependendo do trecho a lama pode dificultar o passeio.